Alta Roda – Bons ares no Salão do Automóvel de Buenos Aires

Salão Automóvel de Buenos Aires 2017

Realizado nos anos ímpares, o Salão do Automóvel de Buenos Aires alterna-se nos anos pares com o de São Paulo. Naturalmente é bem menor em área de exposição e nas edições anteriores tinha em geral poucas novidades. A mostra que estará aberta até o próximo dia 20 dessa vez surpreendeu. Até modelos previstos para estrear primeiro aqui e depois lá foram exibidos no centro de exposições La Rural.

Continuar lendo

Alta Roda – Economizar tem custo

Fabrica-FCA-Fiat-Jeep-Pernambuco

O Inovar-Auto é o exemplo puro de excesso de intervenção governamental em geral e na indústria automobilística em particular. Pode ter havido intenção de fortalecer o setor ao criar obstáculos para quem não produz localmente, mas a estratégia acabou por produzir uma legislação complexa e difícil de implementar. O marco legal começou em 2011 e incluiu incentivos para inovação. Foi preciso editar duas leis, quatro portarias e um decreto ao longo de quatro anos para um programa que teoricamente termina em 2017.

Continuar lendo

Alta Roda – Não tão ruim para todos

Honda-HR-V-Brasil-2016

A queda de vendas em 2015 sobre 2014 é estimada entre 13% e 19%, dependendo do otimismo ou pessimismo da fonte, mas nem todas as marcas foram tão atingidas. Há mais inclinação em encolher a procura por modelos de menor preço e dessa forma os quatro fabricantes mais antigos e dominadores por décadas estão sofrendo.

Continuar lendo

Alta Roda – Alegria e tristeza

Jeep-Renegade-2016

A importância da nova fábrica Jeep, em Goiana (PE), transcende os números grandiosos: mais de R$ 7 bilhões de investimentos (incluindo o parque de 16 fornecedores), capacidade de 250.000 unidades/ano em três turnos, 9.000 empregos no polo produtivo (78% de pernambucanos) e 700 robôs nas áreas de funilaria, pintura e montagem. Como o projeto levou mais de cinco anos para maturar, aplicaram-se as melhoras práticas industriais, de produtividade, de controles de manufatura e organização.

Continuar lendo

Alta Roda – Tentativa válida

Com a perspectiva de aprofundamento da crise de vendas neste ano, várias ações criativas estão em curso. Todo o elenco de estratégias – desde a “troca com troco” até os intermináveis feirões – foi sacado numa tentativa de animar o comprador a entrar na loja e sair com um carro zero-quilômetro.

Continuar lendo

Alta Roda – Chineses no ataque

Jac-Motors-J3-S-flex-Brasil-2014-2015

Desde a chegada do primeiro automóvel importado chinês, em 2008, o Changhe M100 (rebatizado de Effa M100 pelo importador), o mercado brasileiro foi razoavelmente receptivo, mas as coisas mudaram com o tempo. A falta de tradição se compensava com preços bastante competitivos e modelos sempre completos, com todos os equipamentos mais desejados pelo consumidor. Como os carros são importados do outro lado do mundo, fica difícil mesmo montar uma oferta diversificada de versões.

Continuar lendo

Confira os carros mais fáceis e difíceis de serem roubados no Brasil. Chineses são uma vergonha

Chevrolet Cruze LTZ foi eleito o mais seguro do país de acordo com a Cesvi – Chevrolet/Divulgação

Deixando um pouco os posts sobre as novidades do Salão do Automóvel de São Paulo de lado, o Centro de Experimentação e Segurança Viária, mais conhecido como Cesvi Brasil lançou, na semana passada, a primeira edição do seu Índice de Furto – o nome já é auto-explicativo.

A Cesvi avaliou as 118 versões dos 20 modelos mais vendidos do Brasil, além de automóveis das marcas chinesas Chery e Jac Motors. A pontuação variava entre 0 a 5 estrelas. A boa notícia foi que nenhum veículo ficou com zero. A má notícia foi que nenhum tirou nota máxima.

Continuar lendo

Vale a pena comprar um carro chinês?

Não muito tempo atrás publiquei uma enquete aqui no De 0 a 100 com a seguinte pergunta: Qual é o melhor carro chinês vendido no Brasil?. O resultado foi o esperado, ainda mais pelo fator de novidade do recém lançado Jac J3.

Resolvi então pegar os dois primeiros colocados da enquete, além do veículo que chegou mais recentemente às concessionárias, para fazer uma breve análise de mercado de cada um, pensando na pergunta: vale a pena comprar um carro chinês?

Continuar lendo