Conheça detalhes do novo (e possível beberrão) motor Ecotec6 do Chevrolet Cruze

Faltam poucos dias para o lançamento do Chevrolet Cruze no Brasil. Dentro da grande expectativa gerada em torno do modelo, uma delas já está sendo saciada pela própria GM: o motor Ecotec, chamado por aqui de Ecotec6.

Seu nome completo ficou estranho – Ecotec6 1.8 16V flex Dual CVVT. Mas o que importa é que ele desenvolve 140 cv de potência e 17,8 mkgf de torque e 144 cv e 18,9 mkgf com etanol. O 6 do nome é uma referência aos câmbios de seis marchas (manual a automático) disponíveis para o sedã.

A Quatro Rodas já fez o teste do Cruze LTZ automático na sua edição de setembro de 2011. O desempenho foi elogiado, mas a média de consumo foi muito criticada: com etanol, média de 6,6 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada. A mesma revista, em março de 2009, testou o Vectra Elite, automático de quatro marchas, equipado com o bom e ultrapassado motor 2.0 8V Flexpower. A média de consumo aferida foi: 6,2 km/l na cidade e 8,3 km/l na estrada, também com etanol.

Comparando, será que teremos um novo e moderno motor beberrão no mercado? Deixo a resposta com vocês, mas reparo que vários veículos flex estão consumindo muito combustível, como Honda Civic e Ford Ka.

Comentários

  • Renato, o que seria mais vantagem:
    * um carro somente a gasolina que consome menos, ou;
    * um carro flex que consome mais?

    É possível fazer esta comparação?
    Existe algum carro que possua o mesmo motor aqui e no exterior, sendo que aqui ele é flex e fora não?
    Abraços

  • Decepção vem de algo que vc não espera e sinceramente eu já esperava que este carro, apesar de bom, custaria muito caro!(além do motor pé de cana)

    Nos EUA é carro que universitário ganha, aqui é carro de “luxo”.
    E já tem lista de interessados em várias CSS!!! #putz
    Até quando Brasilzão???

  • Existe sim Rod.
    O próprio Cruze tem motor flex aqui e só a gasolina fora, como na Argentina.

    http://www.chevrolet.com.ar/vehiculos/modelos-showroom/autos/cruze/indice.html

    Quando o Meriva bicombustível foi lançado, pedi paraa GM um modelo 1.8 flex e outro 1.8 a gasolina para fazer um teste. Eu faria o mesmo percurso, sempre com gasolina no tanque, respeitando os limite de velocidade da via. Advinha se a Chevrolet me emprestou os carros…

  • Fabio Silva disse:

    Bom, tenho um fiesta 1.6 motor Zetec Rocam que no alcool faz os mesmo números ou até menos. Levando em conta que este carro da GM é muito mais potente, + pesado e automático, não acho tão mal assim não.

    Não é econômico, mas em comparação com outros modelos não chega a ser um beberrão.

    Conheço também proprietários do FOCUS A/T que reclama consome bem mais do que este mortor ECOTEC da GM.

  • Wladimir Pereira disse:

    Bom o dilema gasolina e etanol é grande.

    Motor flex não retira 100% de benefício com gasolia e nem com 100% de etanol. Pois a câmara de compressão do bloco do motor não tira a eficiência total do combustível. Talvez o ideal seja colocar no tanque para cada 5 litros de gasolina 4 de etanol já considerando o percentual de 20% de etanol na gasolino.

    Outro dilema que não tenho resposta até hoje é: O etanol polui menos, mas o carro consome mais e colheita da cana se queima a vegetação. Será que todo o processo do etanol do plantio até a bomba de combustível não polui mais que a gasolina.

    A Europa que é tão preocupada com o meio ambiente investe no diesel de queima eficiente na proporção Km/litro/emição de poluentes.

  • Anonymous disse:

    DEVERIA SER SÓ A GASOLINA COM CERTEZA.
    MAS OS NÚMEROS SÃO IGUAIS OU MUITO PRÓXIMOS AOS DO COROLLA 2.0 E CIVIC FLEX.OU SEJA TEMOS QUE ENGOLIR ESTAS “BOMBAS” FLEX!!

    Marcus Quintanilha

  • Tadeu Victor disse:

    Beberrão acho que não, tenho um crossfox com o ultrapassado motor 1.6 que faz no MAXIMO 8,5 km/l na cidade.Entretanto o preço desse cruze está muito caro, vai acontecer igual o vectra elite, no lançamento vendiam por 90k, depois vendiam por 70k! Outro mico esse daí!

  • Anonymous disse:

    Não sei pq ninguém trata deste assunto com mais vontade(deve ser por medo de represálias das montadoras). Todos os carros que originalmente eram só à gasolina, quando transformados em flex, passam a consumir muiiito mais. Etanol só valeria mesmo a pena, se fosse vendido mais barato e não ficasse ao sabor da ganância dos usineiros. Legal mesmo é carro híbrido ou elétrico. Econômico e praticamente não polui.

    • Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *