Impressões – Conheça mais detalhes da nova picape Renault Duster Oroch

Renault-Duster-Oroch-2.0-2016
Picape Renault Duster Oroch 2.0 manual 2016

Na semana passada estive na 38ª Expointer, uma das mais importantes feiras do setor agrícola do Brasil, realizada em Esteio, cidade próxima à Porto Alegre (RS). Entre os vários animais, alimentos, roupas, acessórios, máquinas agrícolas e de construção, as marcas de carro aproveitaram para mostrar algumas atrações. Chevrolet, Toyota e Fiat não tinham nada de muito interessante, enquanto a Nissan levou uma réplica da tocha olímpica (veja na galeria abaixo). Coube à Renault roubar a cena com três unidades da novíssima e ainda não lançada picape Duster Oroch. Conheça mais alguns detalhes!

Começando pelo principal: de acordo com os funcionários de uma concessionária da marca francesa que estavam por lá, e confirmando o que foi dito antes, a picape Oroch será lançada em outubro bem semelhante ao Duster, ou seja, com opções de motor 1.6 16V e câmbio manual de cinco marchas e propulsor 2.0, com duas opções de transmissão, manual de seis velocidades e automático e quatro marchas, e tração: 4×2 e 4×4.

Renault-Duster-Oroch-2.0-2016-cacamba
Caçamba da picape Renault Duster 2.0 2016

Mas a Renault não deve lançar todas as opções de uma vez, priorizando as versões com tração 4×2 e câmbio manual (1.6 e 2.0). Depois viria a automática (talvez ainda em 2015), seguindo pela 4×4 (em 2016). Os preços da Oroch não foram confirmados, mas, na fala de um dos vendedores da concessionária Renault: “deve custar entre R$ 60.000 e R$ 85.000 – dentro da mesma faixa do Duster”, informou.

Renault-Duster-Oroch-2.0-2016-carga
Veja detalhes do espaço da caçamba da picape Duster Oroch

Pelo que percebi ao vivo, entrando no veículo e olhando os detalhes, a picape Oroch é realmente idêntica ao Duster até a linha do meio, com direito a painel, dianteira e detalhes iguais. Do meio para trás, o Oroch tem espaço interno inferior ao SUV por causa da inclinação do encosto do banco traseiro, que, do meu ponto de vista, causará desconforto em viagens mais longas. Mas é inegável que o espaço é superior ao oferecido pela Fiat e pela Volkswagen com a Strada Cabine Dupla (3 portas) e Saveiro Cabine Dupla (2 portas), respectivamente – e inferior às picapes médias tradicionais com cabine dupla (S10, Hilux, Ranger, Frontier, L200 etc.).

A caçamba do Duster Oroch não é tão grande quanto eu imaginei, sendo semelhante á da Strada Cabine Estendida (Trekking e Adventure). São 683 litros de volume e até 650 kg de capacidade carga. Bom que a Renault irá lançar um alongador, que ampliará o volume em 300 litros (983 l ao todo) e permitirá que um objeto (uma moto, por exemplo) de até 2 metros de comprimento seja levado na caçamba (em diagonal).

Com 4 portas e 5 lugares (informação para dar um “tapa de luva” nas picapes compactas com cabine dupla), a novidade tem espaço interno do Duster. A produção já está em andamento na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, e o novo veículo da Renault terá apenas quatro portas com a capacidade de levar até cinco pessoas, sendo que o passageiro central traseiro terá cinto de três pontos e apoio de cabeça.

Renault-Duster-Oroch-1.6-2016-picape
Picape Renault Duster Oroch 1.6

Como no SUV, a picape será equipada com os propulsores que já conhecemos. O 1.6 16V gera 110 cv de potência e 15,1 mkgf de torque com gasolina e 115 cv e 15,5 mkgf com etanol. O câmbio é manual de cinco marchas e a tração é 4×2.

Renault-Duster-Oroch-1.6-dianteira
Dianteira da picape Oroch é idêntica à do Duster

O motor 2.0 16V do Duster Oroch desenvolve 143 cv de potência e 17,1 mkgf de torque com gasolina e 148 cv e 18,1 mkgf com etanol. Serão duas opções de câmbio: inicialmente, só o manual de seis marchas estará disponível por aqui, quando o modelo chegar, no segundo semestre (entre setembro e novembro). Depois chega a ultrapassada transmissão automática de quatro velocidades. Serão duas opções de tração: 4×2 (ainda em 2015) ou 4×4 (em 2016).

O sistema Media Nav Evolution 2.0 (com GPS) integrado ao painel e sensor de estacionamento são alguns dos outros destaques do Duster Oroch. O modelo terá ainda um acessório estético que é instalado na dianteira do veículo, uma espécie de “projeto de quebra-mato”, que você confere nas fotos da picape esverdeada desse post.

Espero que a picape Renault Duster Oroch tenha um preço competitivo, o que poderia levá-la a uma participação de mercado muito boa, especialmente se avaliarmos as vendas do Duster (SUV) e a procura pelo modelo em terras gaúchas na Expointer. Durante o tempo em que fiquei tirando as fotos, fazendo os vídeos e olhando os detalhes da novidade, 17 pessoas vieram conversar comigo para saber mais informações da picape Duster. Imaginem durante os 9 dias de feira?

Comentários

  • pedro rt disse:

    a oroch vai se tornar a nova lider de vendas entre as picapes, nesse tipo de segmento o consumidor busca um carro q custa o mesmo q uma strada adventure e com tamanho menor q uma s10, nao sei se conrtinuara sendo lider depois q a fiat toro chegar

  • Luciano Braz disse:

    É lamentável que as montadoras insistam em lançar veículos com câmbio automático de 4 velocidades. É extremamente ultrapassado, desconfortável e comprovadamente aumenta o consumo do veículo. Não é possível, nos dias de hoje, oferecer um câmbio jurássico desses!

    • Informecar disse:

      Concordo que hoje em dia existem câmbios mais modernos, porém, é bom lembrar que os atuais automáticos de 4 marchas de nada lembram aqueles que equipavam os carros do vovô. É obvio que estes também passaram por uma calibração tecnológica os tornando mais modernos, com novas configurações e atualizações. Portanto, esqueça aqueeeeeles 4 marchas.

      • Renato Parizzi disse:

        Sem dúvida! Mas alguns pontos ainda incomodam, Rodei num Duster 2.0 automático ontem e fiquei quase desesperado com a demora para as trocas. Deve ser porque me acostumei com transmissões automáticas de cinco velocidades ou mais e CVT. O importante é que o dono o Duster agora o carro e o câmbio.

        • Informecar disse:

          Talvez esse seu “quase desespero”, Parizzi, seja justamente por conta de já ter experimentado algo melhor, como bem exemplificou no caso dos câmbios 5 ou mais marchas e o CVT. Entretanto, para aqueles que estão entrando na onda do automático e, por ventura, este será seu primeiro veículo sem o pedal da esquerda, acredito que este conjunto não possa ser tão sacrificado quanto muitos insistem em julgá-lo. Olhando por esse lado, já ouvi relatos de muitas pessoas que o aprovaram e, mais que isso, fizeram grandes elogios a todo o conjunto.

          Abs!

    • Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *