Salão do automóvel de Munique, na Alemanha, amplia o foco na mobilidade

Foto do Salão do Automóvel Munique 2021 com foco na mobilidade
Salão do Automóvel de Munique agora tem foco na mobilidade

Salão do automóvel de Munique, na Alemanha, amplia o foco na mobilidade

O maior salão internacional do automóvel (IAA, na sigla em alemão) do mundo abriu suas portas no último dia 7 e vai até o próximo dia 12, em Munique, Alemanha, com foco na mobilidade.

Aliás, abrir as portas nunca teve um sentido tão figurado: a exibição inclui um grande espaço ao ar livre (no total sete cenários na área central da cidade) e muitas atividades interativas com o público. A exposição bienal (anos ímpares) não é mais tão gigantesca quanto a tradicional realizada em Frankfurt. Certamente receberá muito menos visitantes por reflexos da pandemia do covid-19 que obrigou os organizadores a cortar as atividades de 11 para 6 dias.

O evento até foi rebatizado. Agora se chama IAA Mobility (foco na mobilidade) e inclui um setor dedicado inteiramente a bicicletas elétricas, por exemplo. A grande maioria dos lançamentos valorizou os modelos 100% elétricos que, por si só, não se trata mais de novidade. A indústria, no entanto, está engajada no longo prazo. Então é necessário demonstrar seu potencial criativo e técnico desde já. Algumas marcas mais otimistas, outras, cautelosas.

Várias projetam datas para a virada total de chave, de combustão para elétrico, sem ter em vista limitações de poder aquisitivo de cada país e, além disso, a infraestrutura capilar ser cara de implantar. Isso sem contar a matriz energética mundial, que precisa dar uma guinada muito forte para reduzir o uso de fontes fósseis como petróleo, gás e carvão para gerar eletricidade.

Audi e BMW

As fabricantes alemãs, como sempre, mantêm o protagonismo de donos da casa. Audi mostrou o carro-conceito Grandsphere que indica como será o sucessor do A8, seu sedã topo de gama, com mudanças externas e internas impressionantes. Outros modelos da marca seguirão a diretriz: Skysphere e UrbanSphere.

A BMW apresentou o avançado conceito i Vision Circular, previsto para 2040. Aplica matérias-primas amplamente recicláveis em um compacto de quatro metros de comprimento. O iX5 Hydrogen pode ser testado pelos visitantes no circuito do seu estande.

Mercedes-Benz e Porsche

Mercedes-Benz apresentou o EQE, versão elétrica do seu sedã grande, e surpreendeu com o EQG, a visão de como será o SUV elétrico de maior porte que respeita os traços originais. O Porsche Mission R, desenhado para futuras competições de monomarca, mantém essa herança e destaca lanternas traseiras com efeito gráfico tridimensional.

Volkswagen

A Volkswagen exibiu o conceito de um subcompacto, o ID.Life, também propondo o uso de materiais recicláveis. O entre-eixos de 2,50 m (entre up! e Polo) permitirá agilidade e facilidade de estacionar. Intenção da marca é oferecê-lo, em 2025, por 20.000 euros (R$ 124.000, em conversão direta), equivalente ao atual up!.

Renault

Interessante a posição do presidente mundial da Renault, Luca de Meo, quando perguntado durante o Salão pela revista inglesa Autocar, sem citar a Tesla, se não o incomodava uma fabricante iniciante ter valor de mercado muitas vezes superior.

“Quando se acumulam mais de 100 anos de história e uma força de trabalho de 200.000 pessoas como a nossa, pode ser estranho ver a valorização de bilhões em empresas que oferecem apenas uma promessa. Mas esse é o mundo em que vivemos. Distorção faz parte da vida. Tenho que aceitar isso”, respondeu.

ALTA RODA

DIFICULDADES de fornecimento de peças, em especial semicondutores, continuam a comprometer fortemente as vendas de automóveis e comerciais leves novos. Dados da Fenabrave mostram queda de 8,6% em agosto sobre o mesmo mês de 2020. Indicam que filas de espera continuarão sem perspectivas de melhora até o final do ano. Porém, no mercado de usados, ao contrário, a comercialização subiu 13,8%. E no comparativo janeiro a agosto de 2021 com o mesmo período de 2020, mais 47,2%, segundo a Fenauto.

COMO se previa, o Corolla Cross ultrapassou as vendas do Corolla sedã nos últimos três meses. Estilisticamente o novo modelo se enquadra mais como crossover do que SUV. Dinâmica ao volante e desempenho são quase equivalentes ao sedã. Na parte interna, ênfase à praticidade e menos aos materiais de acabamento. Acionado com o pé, o freio de estacionamento é uma solução datada.

LATIN NCAP perde-se cada vez mais com discursos agressivos e desligados da realidade econômica da região, embora esteja correta sua disposição de elevar o nível de segurança. Seu erro primário, no entanto, é impor testes de colisão do mesmo modelo com protocolos diferentes. Além de tecnicamente falacioso, o que programas na Europa e EUA descartaram, confunde mais do que ajuda. Essa distorção grave é escondida, de forma injustificável, dos resultados.

CONCORRÊNCIA chegou ao mercado de automatização de passagem por pedágio e saída de estacionamento. O banco Itaú isentará de mensalidade os portadores de seus cartões de crédito que utilizam adesivos ConectCar, a partir do próximo dia 15, e do seu futuro tag próprio, em novembro. Até o final do ano todos os correntistas estarão livres da cobrança. Espera-se que outros fornecedores parem de exigir essa taxa. Não há sentido em diminuir custos de pedágio e estacionamento com a automatização, sem repassá-los ao usuário do serviço.

ESSA COLUNA NÃO REFLETE NECESSARIAMENTE O QUE PENSA O BLOGUEIRO.

ACOMPANHE O DE 0 A 100 TAMBÉM PELO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *