Honda também brinca com o consumidor

É inegável que a Honda é um das marcas que produz carros com qualidade incontestável. Seus modelos quase sempre viram referência para os respectivos segmentos, brigando e, na maioria das vezes, alcançando a liderança da categoria. A Honda consegue sempre um acerto mecânico excelente, garantindo muito conforto, segurança e qualidade ao rodar com o veículo.

Mas, ultimamente, a Honda tem brincado demais com o brasileiro. Tudo bem que isso não é só culpa dela, já que o consumidor escolhe pagar mais para ter um Honda. E também não é só a Honda que faz isso; várias outras marcas também. Mas bem que o fabricante japonês poderia ser mais respeitoso com os clientes em alguns aspectos.

Vejam a dupla City e Fit, que são vendidos na versão DX (o monovolume acabou de chegar as lojas). Ao invés de reduzir oficialmente os preços dos seus modelos, a Honda preferiu deixá-los menos equipados. Em relação ao LX, que tem preço sugerido de R$ 57.420 (regiões sudeste, sul e centro-oeste), o City DX perdeu sistema de som e bandeja sob o assento traseiro, ficando exatamente R$ 2.000 mais barato. Já o Fit DX vem com calotas no lugar das rodas de liga-leve e sem sistema de som, tudo por R$ 51.805.

Uma economia ridícula por parte da Honda. As versões DX não deveriam existir, e todas as outras deveriam custar exatamente o que a inferior custa. Ou seja, o City LX deveria custar o preço do DX; o EX deveria ter o valor do LX; e o EXL deveria ser encontrado pelo preço do EX. O mesmo vale para o Fit, vairando apenas as versões. Assim, o consumidor pagaria menos e teria um modelo mais equipado, tornando a Honda ainda mais competitiva no mercado

Honda City

R$ 55.420 (DX MT)
R$ 59.300 (DX AT)
R$ 57.420 (LX MT)
R$ 61.300 (LX AT)
R$ 62.975 (EX MT)
R$ 66.855 (EX AT)
R$ 66.780 (EXL MT)
R$ 72.625 (EXL AT)

Honda Fit

R$ 51.805 (DX MT)
R$ 55.805 (DX AT)
R$ 54.905 (LX MT)
R$ 58.905 (LX AT)
R$ 57.860 (LXL MT)
R$ 61.885 (LXL AT)
R$ 61.715 (EX MT)
R$ 65.720 (EX AT)
R$ 65.660 (EXL MT)
R$ 71.720 (EXL AT)

Exemplo prático

Os modelos da Honda não são mal equipados, mas poderiam contar com muito mais itens de série, incluindo dispositivos que até carros que custam metade do preço já tem de fábrica. Resolvi pesquisar a fundo uma das versões do aclamado Honda Civic, a LXL automática – umas das mais vendidas atualmente.

O modelo vem equipado, de série, com câmbio automático de cinco marchas (com paddle shit), airbag duplo, freio a disco nas quatro rodas com ABS e EBD, direção com assistência elétrica progressiva (EPS), trio elétrico, ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, coluna de direção regulável em altura e profundidade, controle de áudio e do piloto automático no volante, cinto de três pontos e apoio de cabeça para todos os ocupantes; e rádio AM/FM/CD/MP3/WMA com sistema anti-roubo, quatro alto falantes e tomada P2. É lista realmente muito boa, mas que deixa bastante a desejar.

Além desses equipamentos, o que esperar de um Civic com preço sugerido de R$ 72.165? A começar pelo computador de bordo, um item de série no Chevrolet Agile LT (R$ 36.116) e no Palio ELX (R$ 29.150). O que dizer então dos faróis de neblina, um equipamento de série no Fiat Palio Essence (R$ 36.860).

Não podemos nos esquecer da conexão Bluetooth para celular e da entrada USB que a Fiat vende como opcional para o Palio ELX 1.0: com os equipamentos, o modelo custa sugeridos R$ 31.265.

Ace$$ório$

Além dos preços sugeridos muito altos para seus modelos, a Honda também cobra o olho da cara pelos acessórios. No site de acessórios da marca podemos ver os preços sugeridos para os equipamentos “originais Honda”. Vejam os valores de alguns deles:

Protetor de Carter (peito de aço): R$ 90
Kit Bluetooth para celular integrado ao sistema de som do veículo: R$ 1.008
Kit ultra som – detector de movimento que é integrado ao alarme: R$ 447 
Sensor de estacionamento traseiro: R$ 673,50
Faróis de neblina: R$ 1.333,50 (a Fiat vende por R$ 267 para o Palio)

Um detalhe importante: os preços acima não incluem a mão de obra! Resolvi então pesquisar os valores verdadeiros nas concessionárias. Liguei para seis delas em São Paulo e vejam o que encontrei, incluindo mais um item muito procurado: película anti-vandalismo. Os preços abaixo são para pagamento a prazo, existindo pequena diferença nos valores a vista.

Honda HVille

Sensor de estacionamento: R$ 650 (sensor paralelo)
Película anti-vandalismo: R$ 1.300 (por R$ 990 no “preço promocional”)
Kit Bluetooth para celular – original Honda: R$ 1.170
Protetor de cárter: R$ 176

Honda HPoint

Sensor de estacionamento + película: R$ 1.500 (sensor paralelo)
Película anti-vandalismo: R$ 790
Kit Bluetooth para celular – original Honda: R$ 1.180

Honda Daitan

Sensor de estacionamento: R$ 700 (R$ 1.250 dianteiro e traseiro / R$ 1.300 traseiro com câmera)
Película anti-vandalismo: R$ 1.950
Kit Bluetooth para celular – original Honda: R$1.250 (o paralelo custa R$ 1.900)

Honda Flora

Sensor de estacionamento: R$ 855,50
Película anti-vandalismo: R$ 750
Kit Bluetooth para celular – original Honda: X

Honda Dealer

Sensor de estacionamento: R$ 500 (sensor paralelo)
Película anti-vandalismo: R$ 790
Kit Bluetooth para celular – original Honda: R$ 1.200

Honda SP Japan

Sensor de estacionamento: R$ 500 (sensor paralelo)
Película anti-vandalismo: R$ 800
Kit Bluetooth para celular – original Honda: R$ 1.213

Achei melhor nem perguntar o preço dos faróis de neblina, tamanho absurdo cobrado pelas concessionárias nos acessórios. Um detalhe sobre o caro Kit Bluetooth para celular “original Honda” (acima). Um botão é instalado na coluna do veículo e o dispositivo usa o sistema de som do veículo para auxiliar na conversa. Mas, segundo o funcionário da Daitan, o kit original não mostra quem está ligando no rádio do veículo, ou seja, não tem identificador de chamadas, forçando o motorista a olhar a tela do celular. O ideal mesmo é que o motorista não atenda ao telefone enquanto estiver dirigindo. Mas, se o que o vendedor disse for verdade mesmo, a Honda cobra um absurdo por um equipamento incompleto.

Por sugeridos R$ 72.165, o Honda Civic LXL automático deveria ser equipado, de série, pelo menos, com sensor de estacionamento “original Honda”, kit Bluetooth para celular integrado ao som “original Honda”, sensor de presença integrado ao alarme (acima), sistema que faz os vidros do carro subirem ao acionar o alarme, faróis de neblina e protetor de cárter.

A Honda produz excelentes carros – é fato. Mas confesso que considero vergonhoso para a marca vender um carro da categoria do Civic sem os equipamentos acima. Quem sabe com o Civic 2012 a Honda não melhore consideravelmente a relação custo/benefício do seu sedã médio?

Fotos: Honda/Divulgação

Comentários (49)

  1. A Honda já pegou o jeitinho. Já viu como as coisas funcionam por aqui…

    Cara, sobre os acessórios, isso nem é o efeito Brasil…é o efeito brasileiro na verdade!
    Olho GRANDE!

    É C.O.M.P.L.E.T.A.M.E.N.T.E ABSURDO o fato do camarada vender um sensor de estacionamento (paralelo assumido) que custa 30(TRINTA) dólares na internet por 500, 600, 700 reais!!!

    Peito de aço por 90 tá razoável. Mas por 176????

    Kit BT por mil pratas???

    Se um dia eu me interessar em ter sensor ou kit BT no meu carro comprarei tudo separado pra arcar só com mão de obra depois.

    Enquanto o consumidor não importar em pagar ao vendedor 400, 500% de lucro esse tipo de coisa não vai melhorar!

    Abraço!

  2. A honda tem carros apenas um pouco melhores que a maioria de seus concorrentes, não melhores que todos os seus concorrentes.
    Só que por esse pequena diferença, ela quer cobrar uma grande diferença em relação a seus concorrentes.

    Vou fazer uma pequena comparação do honda civic top de linha que custa R$ 86.000,00 com um Nissan Sentra top de linha que custa R$ 72.000,00. Tudo bem todos concordam que o Civic é mais bonito(talvez nem todos), tem uma mecânica com fama de confiável, mais tirando isso, o que justifica os R$ 14.000,00 a mais que seu concorrente???

    Eu acho que se a Honda praticasse preços parecidos com os concorrentes, teria tudo hoje para ser a quinta, enconstada na Ford em números de vendas.

    Doa a quem doer tenho uma coisa a falar:
    – Quem paga mais de R$ 70.000,00 em um City ou um Fit só pode comer merda!
    Mais cada um faz o que quer com seu dinheiro certo!?

  3. É pagar o carro depois de comprá-lo.

    O carro fica “mais barato” e cobro nos acessórios o restante do valor do carro. Alguns fazem isso nas revisões.

    É uma pena!

  4. Tive um honda civic do modelo anterior, deu um problema ainda na garantia. A cada 7000 km eu estava trocando as pastilhas dos freios. Eu reclamei na concessionária e eles me disseram que não havia problemas e que era normal essa troca nessa kilometragem. O carro tinha somente um ano de garantia e logo depois do fim me deu um problema sério nos freios. Era um válvula que não funcionava direito. O serviço foi feito em uma oficina mecânica de minha confiança. O preço da peça ficaria em 600,00 original e demoraria 8 dias uteis para chegar. Eu consegui uma usada por 60,00. Nunca havia colocado peças usadas, mas não podia ficar sem o carro. Com o tempo passei a ter confiança na peça e as pastilhas passaram a durar quase o dobro. Ele também apresentou problemas elétricos devido ao alarme original instalado na concessionária. Ao final vendi o carro e acho que não compro mais honda.

  5. É esperar pra ver o que a Honda vai fazer com o Civic 2012.
    Com certeza ela vai colocar mais acessórios pra ver ela consegue voltar a ser lider do seu segmento ou então ela aproveita pra lançar o Civic DX porque brasileiro gosta de carro “pelado”

  6. Que venham Hyundai, Kia, Nissan, Citroën e por que não, as chinesas (veja como vem crescendo a Chery). É chamar os outros de trouxa mesmo cobrar tanto por menos. Você equipa qualquer outro carro das marcas citadas acima, sejam eles na mesma categoria ou não, com os mesmos acessórios ou até com os que a própria Honda não disponibiliza em alguns modelos, pagando muito menos. Se ostentar aquele “H” na grade dianteira do carro vele tanto a pena pra pagar isso tudo, pelo menos eu ainda não consegui enxergar essa valorização.

  7. Pois é, tenho um Palio ELX 1.4 2008/2009 com 43.700 km sem qualquer defeito, sequer pneu, silencioso, bateria, amortecedor, troquei, apenas óleos, filtros e pastilha de freio(o disco é original). Esse carro tem computador de bordo, alarmes de velocidade máxima, porta aberta, pora óculos, abertura do tanque e porta malas por dentro, farol de neblina, 3ºencosto de cabeça no banco traseiro….Ou seja, muitos itens que não constam em muitos carros mais caros, incluindo HONDA. Como explicar ? E não me venham com o falso argumento de que as peças/itens do HONDA são mais confiáveis ou tenham mais qualidade! Vejam o exemplo neste espaço em que pastilha de freio do CIVIC foi trocada com 7mil Km. Por fim, as medições de consumo do computador de bordo são bem precisas, às quais comparo com minha planilha.

  8. Honda é igual a Sony. Ambas cobram valores completamente diferentes da média de mercado por se acharem em outro nível de qualidade, coisa que não acontece, mas muitos são iludidos… E como brasileiro gosta de ostentar aquilo que não é, pronto… prato feito!

  9. Se bobear o nível de eltrônica empregado no meu carro supera até o do Accord, que custa 2,5 vezes mais. A Honda literalmente exagera muito.

    Se o novo Civic melhorar nesses aspectos, mantendo um preço competivivo, ele certamente estará na minha garagem, pois simpatizo com o modelo.

  10. Hoje guiei um Honda CIVIC LXL AUTOMÁTICO 2011/11 R$ 67.500,00 e um Toyota COROLLA GLi AUTOMÁTICO 2011/11 R$ 66.790,00.

    O que verifiquei que os carros tem desempenho sememlhante e que em termos de espaço interno o passageiro do banco traseiro no Honda leva uma enorme vantagem (10 cm) em relação Toyota. Entre os dois e pelo valor levaria o CIVIC sem medo de errar. Ele parece mais estável (no chão) apesar disto representar um risco que em qualquer buraco a suspenção irá dar o curso total e aquele baque.

    Quanto aos preços aqui em Brasília não estão tão diferentes talvez porque os dois devam mudar frente e traseira nos modelos 2012.

    Quanto aos opcionais ambos não tem protetor de carter, sensor de estacionamento e faróis de neblina não são de série nem no CIVIC nem no COROLLA. Na Toyota a vendedora ainda disse que o protetor de carter não vinha por uma questão de segurança, pois em caso de batida o motor se projeta para baixo do carro. Ora se isso aí é verdade então a autorizada não devia instalar ou mesmo oferecer o protetor (essa colocação para mim foi estranha).

    No final das contas o CIVIC vale o que cobram. Já CITY e FIT não vale o que cobram nas versões.

  11. P/ R$67.500,00 dá para levar um Sentra 2 SL 2.0 flex c/ 06 airbags, câmbio CVT, ABS c/ EBD, teto solar elétrico, acabamento em couro, computador de bordo, sistema de áudio com mp3, seis alto-falantes, conexão de iPod no console entre os bancos dianteiros e a exclusiva câmera traseira para ajudar em manobras, com imagem integrada ao display de 4.3 polegadas do rádio.

    O consumidor brasileiro age como gado: onde uma vaca vai, a outra vai atrás…

  12. Quem compra um carro de 70k como o Civic LXL geralmente troca antes de acabar a garantia, que em geral é de 3 anos. Então para que pagar a diferença de preço só porque é um Honda e tem a fama não quebrar?! Prefiro ou pagar mais barato ou comprar um carro mais completo, já que muito provavelmente vou trocá-lo ainda semi-novo… Tudo bem que esse argumento só serve para o primeiro dono…

  13. Pagar para receber protetor de cárter num carro de 60-70K!!!! Com a qualidade de nossas estradas, o protetor de cárter deveria ser de série em todos os carros… Mas NUNCA comprei, SEMPRE veio com o carro mesmo sem pedir para o vendedor (isso pelo menos na Ford, VW, Fiat e Citroen, carros que tive zero). Mesmo porque é um item barato demais para os vendedores não cederem na negociação…

  14. Caro xará, quando você diz “É inegável que a Honda é um das marcas que produz carros com qualidade incontestável”, é a pura verdade, verdadeiro automóvel juntamente com a Toyota montados no Brasil, (Hugoas tenta depreciá-los mas não consegue).
    Os preços acima são sugestões da fábrica porém, o Fit DX MT pode ser encontrado a R$ 49.900,00, e o City DX MT por R$ 51.900,00 estão caro?, pode ser mas vale cada centavo pago

    Por lei a garantia é de 3 meses e estendias pelas autorizadas por um ano acima disso, a maioria só cobre caixa e motor cumprindo e para ter direito e necessário efetuar a manutenção rigorosamente em dia portanto, quando quero colocar algum acessórios fujo das autorizadas e coloco na loja de minha confiança, assim como fiz com os vidros coloquei fechamento automáticos ao acionar o alarme, farol de neblina na Honda custa R$ 1.500,00, se quiser coloco também fora da concessionária e assim sucessivamente.
    Parizzi, a Honda tem seus produtos para vender e compra quem quer ou pode comprar, se determinada marca é mais barato e vem com mais acessórios pergunto: porque não vende tanto? (caso do sedã Focus, Puntão Linea, Sentra e tantos outros), será que a Honda e Toyota vende mais porque vale seu preço pela qualidade?, pelos números abaixo os que compraram em 2010 Honda e Toyota são idiotas ou imbecis que não dão valor ao seu dinheiro?.

    Honda Fit 40.954
    Honda City 35.131
    Honda Civic 31.229
    Toyota Corolla 55.024
    O restos vendeu…
    Puntão Linea 12.075
    Focus Sedã 8.478
    Sentra 5.949
    Contra números não há argumento.

  15. Concordo com todos os comentários acima, e é o que o sr. Renato Dantas disse: a maioria dos consumidores é trouxa e não valoriza seu dinheiro além de ser “maria vai com as outras”.

  16. O testo abaixo é uma pergunta e não uma afirmação
    “pelos números abaixo os que compraram em 2010 Honda e Toyota são idiotas ou imbecis que não dão valor ao seu dinheiro?”.

  17. Menos anônimo menos, esqueci de acrescentar:
    CR-V 18.752
    Accord 362

    Portanto, somando todos os automóveis vendidos pela Honda temos no Brasil 126.428 marias foram com as outras por se tratar do exercício de 2010.

  18. Mas esta Maria aí testou o carro e comprou o Honda Civic 11/11 agora em 2011, mais precisamente ontem e pegará o carro amanhã.

    Pois o Honda Fit só em março de 2011 por aqui. A concessionária já esta vendendo o que não produziu para entregar em março de 2011.

    Isto prova o que o presidente da Honda disse que não queria ter o carro mais vendido e sim o mais desejado.

    Esta produção da Honda no Brasil segue um padrão novo, diferente do Toyotismo – Just In Time ou do Volvismo. O Hondismo é o Just Sell Deliver Out Time.

  19. Felix – Em Brasília a desvalorização da dupla CIVIC e COROLLA é a menor entre os sedans.
    NISSAN – Quanto ao SENTRA pode ser um carro mais completo, mas na hora da troca por um novo a desvalorização no DF é absurda. Sei que carro não é investimento, mas pagar 67k no NISSAN e na troca ele valer apenas R$ 50k não é um bom negócio nem no DF nem em lugar nenhum. Se a Nissan fosse levar a sério o Brasil neste segmento ela fabricaria o carro no RJ.
    Mercado – Neste segmento os três primeiros carros são fabricados no BRASIL (1º COROLLA – 55.024, 2º CIVIC – 33.229, 3º VECTRA – 19.974). Depois vem um COREANO – 4º KIA CERATO – 14.210, 5º LINEA – 12.082, 6º C4 PALLAS – 11.948, 7º FUSION – 10.018, 8º SENTRA – 5.949. ENTÃO TEMOS QUE TER CUIDADO ESTE ANO COM O 15º LIFAN 620 CUSTA R$ 40k tem trio elétrico, ar, direção, air bag e ABS e sei lá mais o que. Tem de ter é coragem para comprar esse COROLLA 2003/Toyota CHINÊS 2011 ou -11 com motor SUZUKI é uma salada.

    CONCORDO COM RENATO DANTAS – “Parizzi, a Honda tem seus produtos para vender e compra quem quer ou pode comprar, se determinada marca é mais barato e vem com mais acessórios pergunto: porque não vende tanto?”

    VENDA DA HONDA – Em Brasília o vendedor da concessionária HONDA não está preocupado em empurra um HONDA para você comprar. Se você quer fazer teste drive faz, quer comprar o preço é esse. Não quer obrigado tchau, até a próxima, ou até você ter dinheiro o bastante para dar no carro. Testei FIT, CITY e CIVIC com o vendedor paciente demonstrou o carro na manhã de sábado. Ao final ele disse vai almoça e se você se interessar estou aqui até as 17h (horário de fechamento da loja que não abre aos domingos). Ele disse aqui o HONDA que chega vende, pois dependendo da cor e modelo do carro você espera de até 3 meses e eu estou vendendo modelos 2011/11. E é verdade, pois fui a MITSUBISHI /PAJERO TR4 e só tinha 2010/11, na GM não tinha VECTRA nenhum, nem na FORD – FOCUS só 2010/11, NISSAN SENTRA só 2010/11, na KIA CERATO 2011/11 só em maio (O navio Koreano tá longe do litoral brasileiro).

  20. p/ TODOS aqueles que defendem os fabricantes de seus carros fanaticamente como seu suas vidas dependessem disso e levando alguns comentários como se fossem uma crítica pessoal: mandem seus currículos para as respectivas montadoras, quem sabe elas não se compadecem e lhes dão um emprego…

    Já dizia o dramaturgo Nelson Rodrigues: “Toda unanimidade é burra”…

  21. Wladimir Pereira – O que eu quis dizer é que muitos que compram carro de 70-80K não ligam muito para os custos de manutenção, pois provavelmente não vão sofrê-los por trocarem em 2 ou 3 anos. Mas infelizmente a Honda também não é garantia de qualidade total, não é mesmo? Um pouco de sorte também ajuda…

  22. OK Félix – Creio que alguns compram carros de diferentes modelos em uma determinada faixa de preço para dar a sua impressão do que um modelo tem em detrimento do outro.

    Ex.: Meu Tio comprou o seu quarto CIVIC 2006 no ano em que o modelo mudou. Ninguém avisou a ele da mudança de modelo. Após dois anos comprou um COROLLA 2008 e agora o segundo em 2011. Ele é bancário aposentado e se tem uma coisa que o revolta é perder dinheiro. Ele compra uma carro bom e confortável, mas que não vá perder dinheiro quando for trocar.

    Honda e Toyota são suscetíveis a erros, mas o mercado até agora confia mais neles do que num nissan ou qualquer outro. Veja o VW GOL teve toda a polêmica do óleo e bater motor e continuou sendo o mais vendido. É claro eu tinha um VW GOL POWER e não troquei por outro, mas quantos outros continuaram comprando. E as revendas seminovos e usados aqui no DF não carro antigo mais caro do que aqueles GOL’s quadrados que são tabelados em R$ 7 mil.

  23. Quando a Honda tiver custo benefício, talvez eu compre um!
    Meu dinheiro é suado!

    Quem compra carro pensando em quanto vai perder quando vender, não devia comprar…carro não é investimento!
    Carro é prazer…você compra aquele que te dá mais prazer de dirigir dentro de seus limites financeiros.
    E não esqueça do custo benefício!

  24. Wladimir, perder dinheiro sempre é ruim, concordo plenamente. Mas hoje, apesar de já estar com a vida estabilizada e poder comprar um carro melhor do que tenho, ainda assim o lado racional fala mais alto… Mas um mínimo de prazer o carro tem que dar, né? Por isso o Corolla ainda é um carro fora dos meus planos…rs . Ô carro mais sem graça para dirigir (embora cheio de outras qualidades)

  25. Wladimir, eu não troco de carro todo ano! Então na minha lista de análise de compra, desvalorização é um dos últimos que penso. Fiquei 7 anos com meu ultimo carro, já estou a 3 com o de agora, e vou ficar pelo menos mais dois.
    Quem troca de carro em 1 ano, no máximo 2 anos acredito que desvalorização seja um item de grande relevancia!
    Mais o mercado prega peças, o carro que desvaloriza pouco hoje, pode virar um mico amanhã! Imagina daqui a 6 meses a desvalorização do Linea 1.9!
    Como eu já falei…carro não é investimento!
    Quanto mais você o usa, mais ele se paga!

  26. E compeltando o belo texto do Wladimir Pereira, a Honda é honesta e taxativa “não temos carro reserva”, as outras oferecem mas já viram o martírio que é conseguir um?, minha filha (Ecosporte), teve que brigar pois não tinha direito porque foi rebocada pela seguradora é mole.
    O Hogoas tem toda a razão carro não é mais investimento, paguei 57.000,00 pelo City LX automático, e fui na autorizada ver quanto pagariam na troca por um Civic LXL:
    preço do LXL R$ 61.900,00 preço a pagar pelo City R% 46.000,00, uma desvalorização de 11.000,00, caso faça a troca não posso reclamar.

  27. PARA ANÔNIMO – A diferença entre um usado NISSAN SENTRA e um HONDA CIVIC do mesmo ano aqui no DF varia entre 10 e 15 mil reais.

    Será que compensa!? Sem contar o preço das revisões.

    É claro alguns não se importam com isso, já outros sim. Talvez por isso a maioria do mercado acabe optando por TOYOTA COROLLA e HONDA CIVIC.

  28. PARA ANÔNIMO – JÁ O GM VECTRA SEDAN TEM PREÇO EQUIVALENTE AO NISSAN SENTRA. NÃO SEI SE ONDE VOCÊ MORA É ASSIM, MAS NO DF É O QUE IMPERA.

  29. Parabéns pelo texto Parizzi. Assunto polemico, mas é sempre bom dar uma cutucada nesse pessoal.

    Como tudo na vida a Honda tem seus prós e cons. Aqui em casa estamos no terceiro Honda e posso garantir que a lista de prós é MUITO MAIOR que a de cons. O carro não dá defeito. A revisão é uma das mais baratas do mercado (R$ 150 é uma verdadeira bagatela, não?). Conforto, segurança, bla, bla, bla. O preço da maioria das peças é de razoável a bom. Desvalorização é uma das mais baixas do mercado – e não venham me dizer que isso não é importante.
    O que mata de raiva são os acessórios. Eita japonesada mão-de-vaca na hora de equipar os carrinhos.
    Preço é alto? Compre FIAT. Quem reclama do preço da Honda nao sabe o que está falando. Quem define preço é o mercado e não a fábrica.
    No mais, motor e cambio são estado-da-arte. Dirija um Civic com Paddle Shift e depois um Stilo com aquela coisa horrorosa que a FIAT fez.

  30. Treo, dá até dó comparar o Stilo com paddle shift com o Stilo com o mesmo equipamento… A Fiat precisa tornar o seu câmbio automatizado mais refinado e com melhor funcionamento, com urgência!

    O Bravo perde os comparativos por dois motivos: espaço interno ruim e câmbio que atrapalha a “bravura” do carro. Isso sem contar o fato do modelo só ter 2 anos de garantia, com 3 do Focus, do Vectra GT, do C4 e contra 5 do i30.

  31. Para mim Bravo é um Punto esticado pode até ter alguma diferença tecnológica. Mas não tem um desenho próprio e sim é a cópia de seu irmão menor. E ainda há um agravante o espaço inteno é menor que o descontinuado STILO. Aqui não tenho dúvida sou mais STILO do que BRAVO. Não sei se o Leônidas concorda.

    Concordo com o Treo que as revisões são baratas inclusive comparando com carros de categorias de entrada de outras montadoras (1.0 pé duro).

    Quanto a HONDA observe um CIVIC ligado e compare o ruído do motor com qualquer carro da FIAT. O carro é silencioso.

  32. Eis o que meu xará quis dizer
    “Treo, dá até dó comparar o Civic com paddle shift com o Stilo com o mesmo equipamento… A Fiat precisa tornar o seu câmbio automatizado mais refinado e com melhor funcionamento, com urgência”

  33. eu prefiro o city acho ele menor e mais bonito,já o civic é muito comprido,e tem um porte melas muito pequeno.o fit não compro nunca,carro pequeno,e tem um desempenho muito ruim. ele é muito duro de andar.eu prefiro o city

  34. eu prefiro o city acho ele menor e mais bonito,já o civic é muito comprido,e tem um porta malas muito pequeno.o fit não compro nunca,carro pequeno,e tem um desempenho péssimo. ele é muito duro de andar.eu prefiro o city

  35. Tive um HONDA FIT 2008 0km. Olha, nada de excepcional. Achei ate um carro com estabilidade ruim. Tinha um problema cronico de comer os pneus diateiros de forma irregular. Levei na autorizada HONDA, varias vezes. Nao deram jeito. Depois do segundo jogo de pneus se acabarem antes do tempo e tentando resolver o problema durante esse tempo, vendi o carro. Creio que qq marca e questao de sorte. Pode ser que de fato a HONDA seja tudo isso que dizem ( em relacao a ser otima), mas como eu nao tive uma boa experiencia com a marca, nao lhe darei uma segunda chance, nem com modelos superiores da marca como o CIVIC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *