Totota Corolla 2012 e novo Volkswagen Jetta agitam a semana e o mercado

Essa última semana foi realmente agitada para o sedãs médios no Brasil. Tivemos os lançamentos da linha Toyota Corolla 2012 e do novo Jetta. Com as novidades, a Toyota espera manter a liderança, enquanto a Volkswagen quer ganhar uma boa fatia do segmento com um produto mais “abrangente”.

Começando pelo alemão vindo do México, a estratégia da marca foi deixá-lo maior e, principalmente, mais acessível, colocando no mercado duas versões: Comfortline (R$ 65.755) e Highline (R$ 89.520), ambas 2.0, mas com motores bem diferentes.

O visual do modelo segue a tendência mundial de design da marca. Suas linhas são bonitas e marcantes, mas não abusam de ousadia e esportividade. A dianteira é semelhante à de vários outros carros da marca, enquanto a traseira foi claramente inspirada em sedãs da Audi. Maior, o Jetta agora mede 4,64 metros de comprimento e 2,65 m de entre-eixos – contra 4,55 m e 2,58 m, respectivamente, da geração anterior.

O interior é simples e tradicional, com destaque para o aumento do espaço para os ocupantes e para a boa ergonomia. O porta-malas tem ótima capacidade: 510 litros. A lista de equipamentos de série é farta. O Jetta Comfortline tem ar-condicionado digital, direção assistida, quatro airbags, freio a disco nas quatro rodas com sistema ABS, controle de tração (ASR), volante revestido em couro, rádio CD Player com reprodução de arquivos em MP3, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, computador de bordo, coluna de direção regulável em altura e profundidade, rodas de liga leve, entre outros itens.

Já a versão Highline tem os itens acima além de controle de estabilidade (ESP), ar-condicionado com duas zonas de regulagem de temperatura e saídas para o banco de trás, dois airbags do tipo cortina, piloto automático, bancos com revestimento em couro, sensores de chuva e crepuscular, volante multifuncional – com comandos de som e Bluetooth – e sistema de som com tela sensível ao toque e oito alto-falantes. Ficou devendo apenas na falta de um GPS integrado no painel.

Volkswagen Jetta Comfortline 2.0 (manual): R$ 65.755
Volkswagen Jetta Comfortline 2.0 (automático): R$ 69.990
Volkswagen Jetta Highline 2.0 Turbo (automático): R$ 89.520

Para ficar mais barato, o novo Jetta perdeu o motor 2.5, que foi substituído por uma dupla de propulsores 2.0. O mais atraente é o FSI, com quatro cilindros, turbo e injeção direta de gasolina. São 200 cv de potência e 28,5 mkgf de torque. Por causa da injeção e do excelente câmbio automatizado de dupla embreagem com seis velocidades (com trocas por borboletas atrás do volante), o carro não é um beberrão. Segundo a Quatro Rodas, ele tem média de 9,4 km/l na cidade e 13,e km/l na estrada.

O outro motor é o (VELHO) conhecido 2.0 8V Total Flex, que desenvolve 116 cv de potência e e 17,7 mkgf de torque com gasolina e 120 cv e 18,4 mkgf com etanol – o mesmo usado no Bora, New Beetle e Golf. São duas opções de câmbio: manual de cinco marchas e automático sequencial de seis velocidades. Com esta segunda transmissão, também de acordo com a Quatro Rodas, o carro tem média de 7,2 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada com etanol.

O Jetta mais barato realmente fica devendo em desempenho. Em todos os testes comparativos publicados nas revistas mais recentes, contra os adversários com propulsor 2.0 (Fluence, 408 e Corolla, por exemplo), o carro ficou para trás. Vale até comparar os números do Corolla 1.8 (2012) automático de quatro marchas com o Jetta 2.0 Tiptronic, ambos com etanol no tanque, divulgados pela revista da Abril:

Volkswagen Jetta 2.0 Total Flex
De 0 a 100 km/h: 12,8 s
Retomada de 40 a 80 km/h: 6,1 s
Retomada de 60 a 100 km/h: 7,4 s
Retomada de 100 a 120 km/h: 9,5 s

Toyota Corolla 1.8 VVT-i flex
De 0 a 100 km/h: 11,3 s
Retomada de 40 a 80 km/h: 5 s
Retomada de 60 a 100 km/h: 6,3 s
Retomada de 100 a 120 km/h: 8,2 s

Mudando para ficar no mesmo lugar

O principal alvo do novo Jetta é o Toyota Corolla, líder do segmento de sedãs médios, que acaba de mudar já como linha 2012 para ficar exatamente onde está: na frente. As mudanças foram as mesmas que comentei em outubro do ano passado.

As alterações visuais deixaram o Corolla com cara de Camry. Na frente, a grade está maior, os faróis estão diferentes e o para-choque foi renovado. O espaço onde ficam os faróis de neblina também mudaram, assim como as entradas de ar. Na traseira, o estilo tuning (xuning para alguns) deu o tom da alteração dos faróis. O friso na tampa do porta-malas, acima da placa, está maior, chegando quase nas lanternas – o que achei feio. No para-choque, os olhos de gato, que eram redondos, agora são em forma de trapézio.

Internamente, a padronagem dos tecidos dos bancos mudou, assim como a parte superior do painel, que agora é mais escura. Para completar, as versões XEi e Altis receberam entrada USB no painel.

Mas a alteração mais esperada aconteceu debaixo do capô das versões mais simples (XLi e GLi). O motor 1.8 16V agora tem comando de válvulas variável na admissão e no escape. Entre outras alterações, a taxa de compressão subiu para 12,0:1. O que importa é que o carro ganhou força, subindo de 132 cv para 139 cv com gasolina, e de 136 cv para 144 cv com etanol. O torque também cresceu: foi 17,3 mkgf para 18 mkgf com gasolina, e de 17,5 mkgf para 18,6 mkgf com etanol. O câmbio manual, antes de cinco marchas, passou a ter seis, para aproveitar melhor a motorização. Na prática, segundo a Toyota, o Corolla 1.8 2012 ficou 3% mais rápido e 16% mais econômico.

Uma pena que o câmbio automático continuou com quatro marchas, não importando se o motor é 1.8 ou 2.0. Tudo bem que ele tem funcionamento suave e eficiente, mas poderia ter, no mínimo, cinco marchas. O ideal seriam seis, pelo menos.

Toyota Corolla XLi 1.8 manual: R$ 63.570
Toyota Corolla XLi 1.8 automático: R$ 67.570
Toyota Corolla GLi 1.8 manual: R$ 67.070
Toyota Corolla GLi 1.8 automático: R$ 70.570
Toyota Corolla XEi 2.0 automático: R$ 76.770
Toyota Corolla Altis 2.0 automático: R$ 86.570

No final das contas, a Toyota fez alterações suficientes para manter o Corolla na liderança do mercado brasileiro de sedãs médios em 2011, ano de “ajustes” no segmento com as chegadas e mudanças dos modelos.

Para 2012, talvez o Jetta incomode e a dupla Fluence e 408 possa até fazer barulho. Se o C4 Pallas renovado chegar, bom para o mercado. Mas Honda Civic 2012 (que parece que regrediu) e Chevrolet Cruze são os adversários com mais chances de incomodar o líder num futuro próximo. Talvez o Cerato flex também tente se enfiar na disputa. E não podemos nos esquecer do Hyundai Elantra.

Comentários (17)

  1. Renato, você sabe se o corola 2012 modificou alguma coisa interna em relação às diferenças para o corola europeu? Alguns sites especializados mostraram que o corola nacional amassa muito mais que o europeu no crasch test, e recebeu somente 1 estrela para as crianças que vão atrás. O cinto traseiro do carro nacional é diferente do europeu? Não tenho coragem de colocar minha filha no banco traseiro de um corola!!! Porque a Toyota e a imprensa não exigem uma explicação para o consumidor brasileiro???? Nós pagamos o dobro do europeu para ter um carro inferior!!! Espero que a imprensa e os consumidores brasileiros forcem a Toyota a dar uma explicação para o consumidor brasileiro. Será que neste corola 2012 esses graves erros foram corrigidos??? ou as mudanças foram somente estéticas????

  2. O PIOR de tudo no Corolla 2012 é você pagar R$ 63.570 na versão XLI e sair da concessionária com uma carro sem ABS, rodas com CALOTA e com o vidro traseiro a MANIVELA. Até o EFFA M100 de R$ 23.480 que vem da china traz os vidros elétricos nas 4 portas.

  3. Em minha opinião gostava do modelo anterior do Jetta. Esta “nova versão” ficou muito conservadora e com cara de “tiozão”. Além de possuir uma motorização ridícula. Já a Toyota apresentou a “mistureba” corolla/camry, sendo simplesmente “mais do mesmo”, apenas para se manter na liderança. Haja visto que os recéns lançamentos e futuras promessas não oferecem tanta ameaça. Resumindo: Passou da hora das montadoras lançarem NOVOS modelos realmente atraentes (em todos os quesitos) neste seguimento tão concorrido!!

  4. Esse segmento não é minha praia, mas o Renault Fluence tem a proposta mais honesta da categoria: motor 2.0 Nissan com câmbio CVT, ABS + EBD e 6 airbags desde a versão mais barata.

  5. Também preferia o desenho do jetta anterior, se bem que esse parece que ficou melhor, e quanto ao corolla sera que ele esta querendo mudar a imagem que tem de ser de tiozao modificando essas lanternas traseiras?

  6. Não resta a menor dúvida que o Toyota Corolla é um excelente automóvel, confiável, durável e manutenção dentro do esperado porém, devo ser realista o Toyota Corolla XLi 1.8 manual por R$ 63.570 não vir com roda liga leve e acionador elétrico do vidro traseiro é uma mancada e tanto, espero que a Toyota corrija este equívoco.

  7. o interessante de tudo, ´q ninguem sabe q o motor do jetta é aspirado ou seja é como se tivesse 140 cv, ele mais potente que o bmw i120 em aceleracao, mais q civic e corolla..

  8. o interessante de tudo, ´q ninguem sabe q o motor do jetta é aspirado ou seja é como se tivesse 140 cv, ele mais potente que o bmw i120 em aceleracao, mais q civic e corolla..

  9. compativo ridículo, comparem motor 1.8 do corolla e 2.0 do jetta, vao se catar. Claro o motor 1,8 do corolla ja deu uma sova no jetta 2.0 imagina se comparar com o corolla 2.0, dai fica até vergonhoso. quem tem cerebro escolhe o corolla.

  10. O MERCADO NACIONAL DE VEÍCULOS ESTÁ TÃO RUIM QUE NÃO VOU TROCAR DE VEÍCULO NOS PRÓXIMOS 8 ANOS. POIS NÃO ADIANTA TROCAR CARROÇA POR OUTRA CARROÇA. ENTÃO ATÉ APRESENTAREM UM VEÍCULO DESCENTE COM O RESPEITO QUE O QUARTO MAIOR MERCADO DO MUNDO MERECE NÃO VOU FICAR TROCANDO DE CARRO MAIS. TROCA SÓ DAQUI A 6 ANOS.

  11. É importante lembrar que o Jetta 2.0 aqui analisado tem um motor de 116 cv/Gasolina. Isso faz entender que tem um bom rendimento, pois o Corolla tem 138 e não faz tão bonito em frente ao Jetta. No mais, os dois carros são muito confiáveis. E outro detalhe: Se quer potência é só comprar o Jetta Highline (motor 2.0 de 200 cv, o mesmo que equipa ou equipava muitos modelos da AUDI), que faz o modelo ir de 0 a 100 em apenas 7,3 seg, com um câmbio DSG.

  12. Falam que o Motor do Jetta 2.0 é fraco e antigo. Apesar de falarem que é antigo o 2.0 aspirado de apenas 116 vc não faz feio num motor que dizem ter 144cv. Acho ques estes 144 Pangarés não tem o rendimento que o comfiável volks de 116 cv tem. vamor comparar agora o torque: Toyota corrola tem 18 mkgf de torque com 144 cv e volkwagen Jetta 18,4 mkgf com apenas 116cv. Torque é força e nisso o motozinho que diz ser fraco faz bonito. Acho que estes 144cv é uma pura enganação ou o comfiável motor do Jetta tem melhor desempenho com menor potencia.

  13. manoel, reveja os dados oficiais:

    Jetta 2.0 flex: 116/120 cv e 17,7/18,4 mkgf
    Corolla 1.8 flex: 139/144 cv e 18/18,6 mkgf
    Corolla 2.0 flex: 142/153 cv e 19,8/20,7 mkgf

    comparando os dados de potência e torque com gasolina e etanol, o jetta perde para o corolla 1.8 e para o corolla 2.0.

  14. A faixa de rotação que o jetta flex atinge o torque maximo e bem menor que o corolla, apenas 2500 rpm , que o torna mais confortável, e a transmissao de 6 velocidades automática o deixa mais esperto! O corolla ainda possui 4 marchas automático. Já comparando o motor do corolla 2.
    0 do Xei com o Tsi aí o corolla perde feio,153cv e 20.7kg de torque vs jetta 200cv e 28,5kg de torque, sem contar o cambio DSG!
    Na minha opinião o jetta esta ótimo e veio para ficar!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *