Um abraço ao bom e velho Chevrolet Vectra

Foram muitos anos de mercado, vários deles com certo glamour, mas chegou a hora do Chevrolet Vectra dar adeus ao nosso mercado. A marca fecha o ciclo do seu sedã médio com duas mil unidades da série especial Collection.

Desde o lançamento da sua atual carroceria, sempre tive a mesma impressão do Vectra. Sinto que a GM fez como a diretoria do Palmeiras gosta de fazer: usar a política de contratar jogadores “bons e baratos”. Ou seja, pegou um carro bom e mais barato de produzir – Astra -, fez alterações, e lançou o Vectra. O problema é que ele nunca foi barato, nem “um barato” – mas sempre foi um bom carro, com espaço interno interessante e ótima capacidade no porta-malas.

Por causa dessa “política”, o Vectra sempre esteve na sombra do Astra Sedan e atrás dos concorrentes japoneses, que nasceram de projetos próprios, e não adaptados. E adaptação foi sempre uma das sinas do Vectra. Na verdade prefiro chamar de correções ou melhorais ao invés de adaptações. No meio do ciclo de vida da sua atual carroceria, a Chevrolet fez bem-vindas alterações no visual do carro e (nesse caso não tem como não usar) adaptou o espaço interno criando novos, mas nem sempre práticos, porta-trecos. O motor 2.0 8V Flexpower foi outro que ganhou alterações para ficar mais potente e, teoricamente, mais econômico.

Versões

Quando a atual carroceria foi lançada, a GM colocou no mercado nacional duas versões do Vectra: Elegance 2.0 (R$59.990) e Elite 2.4 (R$ 79.990) – todas flex. Não muito tempo depois chegou o acabamento Expression 2.0, que acabou se tornando a alegria dos frotistas e a tristeza dos donos das versões Elegance (que acabou desvalorizando) por custar menos.

Beberrão

O Vectra sempre foi equipado com o motor 2.0 8V Flexpower, que, inicialmente, desenvolvia 121 cv de potência e 18,3 mkgf de torque com gasolina e 128 cv e 19,6 mkgf com etanol. Alguns anos depois este propulsor passou a render os atuais 133 cv e 18,9 mkgf com o combustível fóssil e 140 cv e 19,7 mkgf com o derivado da cana-de-açúcar.

Outra motorização que esteve debaixo do capô do Vectra foi a 2.4 16V Flexpower, que gerava 146 cv e 23,1 mkgf com gasolina e 150 cv e 23,7 mkgf com álcool. Esse motor sempre esteve associado ao câmbio automático de quatro marchas (item de série nas versões Elite do Vectra). Por isso, a média de consumo que não era boa ficou ainda pior. Quando testei o carro, a média de consumo na cidade com etanol foi de 4,4 km/l, e 5,8 km/l com gasolina – um verdadeiro beberrão. O motor 2.4 do Vectra acabou saindo de linha por ter desempenho limitado e por beber e poluir demais.

E consumo sempre foi um dos principais questionamentos do Vectra, não só do 2.4. A versão 2.0 também foi bastante criticada, especialmente com câmbio automático. A solução da Chevrolet para “melhorar” o consumo foi aumentar a capacidade do tanque de combustível de 52 litros para 58 litros. Aposentar o motor 2.4 e melhorar o propulsor 2.0 também foram boas ideias.

Collection

A GM pegou a versão Elite, acrescentou alguns detalhes de acabamento e adotou o preço da versão Elegance (R$ 65.400) para criar a Collection. Como diferenciais, o Vectra especial tem uma única cor, Verde Lótus metálica, bancos de couro com o nome “Collection”, logotipos da versão nas laterais e na traseira e manual do proprietário com capa de couro numerada entre 0001 e 2000.

O Vectra Collection vem equipado de série com ar-condicionado digital automático, direção hidráulica, airbag duplo frontal, freios com sistema ABS com EBD, sensor de chuva, computador de bordo, banco do motorista com ajustes elétricos, sistema de som Premium Sound, antena do tipo Shark, rodas de alumínio de 17″ e transmissão automática de quatro marchas.

Não custa lembrar que, em 2005, a geração anterior do Vectra recebeu a série especial Collection limitada a mil unidades. Segundo a Quatro Rodas, a versão era pintada na cor cinza Mayon e tinha vários detalhes pintados em cores especiais, além de chaveiro e manual do proprietário numerados.

(fotos: Chevrolet/Divulgação)

Comentários (21)

  1. Acho horríveis esses painéis da GM que parecem que vão engolir o motorista. Os comandos do ar (mesmo sento automático) ficam quase que no pé do condutor, não sendo uma posição confortável para seu manuseio e muito menos a leitura de seu painel digital. Consumo terrível e pouca potência para um 2.0 16V. Demorou Vectra, durma em paz!

  2. Bom carro, de 3 anos pra cá (quando reduziram seu preço), tornou-se uma boa opção! Tive 2 Sedans (Expression 128cv e Elite 140cv), atualmente, tenho um GT 140cv. Mas, como acontece no mundo automotivo, vai morrer para ceder espaço ao CRUZE! Um carro mundial, com motor mais moderno.

  3. Existe automóvel no Brasil?
    Pegue o melhor fabricado por qualquer montadora no Brasil, no máximo que valeria, uns R$ 40.000,00
    Não precisa ir longe, veja nossos visinhos “Los Hermanos” lá eles pagam a metade do que pagamos aqui, ou seja, pagam o que realmente vale.

    Temos que dar mais ao nosso dinherinho suado!

    que triste !!

  4. Tudo na vida é passageiro menos o motorista e o cobrador, o vovô dos sedãs aposenta-se para dar lugar a um sedã moderno, vá com Deus vovô vectra e seja bem vindo Cruze.
    E o Corolla continua lider absoluto sem ser incomodado e vai continuar neste ritmo por muito tempo.
    lembrando: encontra-se com 25.000km e nada de barulho ou problema.

  5. só sabe que é bom quem teve um, nunca ouvi tanta besteira a respeito do vectra,
    Dizer que sempre andou na sombra do astra é f.
    o astra bebe pra caramba, tanto quanto um vectra e oferece muito menos conforto.
    vai deixar saudades.
    agora falar dos japoneses, quero ver daqui uns anos na hora da revenda.
    gm vc encontra peça em qualquer lugar, agora procura um farol da tucson pra ver se vcs acham, isso é só um exemplo.

    • Mandou bem. Tenho um Astra aut. anda muito, é confortável, bancos de couro, air bag, freio à disco nas quatro rodas….e por aí vai. CUSTO X BENEFICIO BACANA Ah!! peças em qualquer lugar acho, assim como mão de obra na manutenção.

      • Trabalhava como responsavel pela frota numa repartição publica e tinhamos alguns vectras e astras, quando iam pra manutenção dava vontade de chorar, por incrivel que pareça, ruim de achar peças no mercado e caras, manutenção dispendiosissima,

  6. Tenho um Astra e o consumo na cidade não é dos melhores, mas na estrada melhora, nunca tive um Vectra e não acho o carro feio e pelo contrário o modelo 09 para frente é bem bonito. A manutenção não é cara e achar peças não é difícil. Carros montados aqui com a mesma motorização têm consumo semelhante como já pude comprovar com donos de outros carros, e claro você deve comprar o carro de acordo com as suas necessidades caso viaje muito não vai comprar um 1.0, mas se for dirigir somente na cidade o Vectra gasta mais.

  7. TENHO UM COLLECTION, OTIMO CARRO, CONFORTO FORA DE SERIE, ESPAÇO MARAVILHOSO. A QUESTAO DO CONSUMO SO DEPENDE DO CONDUTOR. JA DEIXEI MTO COROLLA E CIVIC NO CHINELO.

  8. Tenho um Elite 2011 há dois meses, já tive um Elegante 2010. Ótimo carro, dentre os sedas médios com certeza o melhor custo benefício. Corolla do mesmo ano custa quase 20 mil a mais. Estou muito satisfeito. Manutenção barata, equivalente a de carro popular. Por 35000 duvido achar carro mais completo, mais novo e com mesmo conforto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *