Velho Chevrolet Agile ganha cara de “novo” para tentar sobreviver no mercado nacional. Vale a compra?

Chevrolet-Agile-LTZ-2014-Brasil-Easytronic-flex-visual-dianteiro

Fiquei boa parte do dia ontem pensando no que escrever sobre o “novo” Chevrolet Agile 2014. Praticamente tudo que eu tinha para dizer eu falei no post da primeira divulgação da marca sobre o veículo e no outro post com as imagens feitas na Argentina. Para tentar não repetir muita coisa, serei breve por aqui, usando novamente apenas uma das minhas percepções sobre o hatch: como dar uma sobrevida a um carro fadado ao “não sucesso”? Esse é o grande desafio da General Motors com o Agile 2014.

Pelo menos a GM se esforçou. O primeiro ponto que chama a atenção na linha 2014 do Agile é o seu visual. A dianteira recebeu uma bem-vinda reformulação, ficando mais proporcional com a adoção de novos faróis, para-choques e grade. Só não gostei muito da linha preta que corta a placa – mas, sem dúvida, o conjunto frontal ficou bem melhor. Na traseira, novas lanternas e um novo parachoque foram as alterações, enquanto as laterais tem novas rodas (195/55 R16) com pneus “ecológicos” de aro 16″.

Chevrolet-Agile-LTZ-2014-Brasil-Easytronic-flex-visual-traseira2

Mecanicamente, a única mudança da linha 2014 está no câmbio. A segunda geração da transmissão manual de cinco velocidades F1X conta com um novo conjunto de sincronizadores e com novas relações de marchas, possibilitando ao motorista, segundo a marca, engates com menor esforço e mais prazer ao dirigir. A marcha à ré agora é sincronizada.

Para o contra-indicado câmbio manual automatizado Easytronic, a novidade bem-vinda são os paddle shifts atrás do volante para as trocas de marcha – algo novo para o Agile, mas que já existe para os principais concorrentes automatizados há anos. Tomara que a GM coloque as borboletas também nos seus veículos automáticos, pois os botões localizados no câmbio para as trocas são péssimos.

Por dentro, a linha 2014 do Agile tem um novo e bonito volante, com design mais esportivo, com a base achatada, e que integra controles do controlador da velocidade de cruzeiro (cruise control) do lado esquerdo e os comandos do rádio e do telefone do lado direito. O compacto conta ainda com novos mostradores, novos grafismos e molduras no painel, além de novos tecidos para os bancos e painéis das portas.

Chevrolet-Agile-LTZ-2014-Brasil-Easytronic-flex-interior-painel

Vendido exclusivamente na versão LTZ, o Agile 2014 tem como equipamentos de série ar-condicionado, coluna de direção regulável em altura, controlador de velocidade de cruzeiro (cruise control), direção hidráulica, acendimento automático dos faróis, computador de bordo, nova chave tipo canivete, novo rádio com CD/MP3 Player, leitor USB, Bluetooth, reconhecimento de voz e discagem automática do celular, entrada auxiliar frontal; computador de bordo com 6 funções: consumo médio (km/l), consumo total (km/l), velocidade média (km/h), autonomia (km), temperatura externa (°C) e hora (relógio); banco do motorista com regulagem manual de altura; lavador, limpador e desembaçador do vidro traseiro; trio elétrico; faróis de neblina; airbag duplo, freios ABS com EBD; entre outros itens.

O motor 1.4 8V Econo.Flex é o mesmo (nada de SPE/4, como Onix e Prisma): desenvolve 97 cv de potência a 6.000 rpm e 13,2 mkgf de torque a 3.200 rpm com gasolina e 102 cv e 13,5 mkgf com etanol nas mesmas rotações.

Em termos de preço, infelizmente o Agile LTZ 2014 ficou mais caro em relação à linha LTZ 2013. A versão manual tem preço sugerido de R$ 42.990 (R$ 42.320 a 2013) e a manual automatizada Easytronic de R$ R$ 45.490 (R$ 44.520 a 2013). A pintura metálica custa R$ 1.000.

Chevrolet-Agile-LTZ-2014-Brasil-Easytronic-flex-visual

Vale a pena comprar um Agile 2014?

Se você gosta do Agile, saiba que a sua linha 2014, sem dúvida, é a melhor do modelo desde o seu lançamento em 2009. Por isso, vale a compra se você gostar mesmo do veículo – mas opte pela versão manual, que, além de ser mais barata, tem conjunto mais atraente do que a automatizada Easytronic.

Se você gosta do carro, mas tem alguma dúvida (mesmo que pequena) sobre a compra, então não compre. O cada vez mais caro Onix (estamos de olho Chevrolet!) é mais moderno, confortável, bonito (avaliação subjetiva) e com uma solução mecânica superior (motor 1.4 SPE/4 e câmbio automático de seis marchas) – sem dúvida é um produto melhor e mais duradouro. Já comparei o Onix e o Agile num Duelo aqui no De 0 a 100.

Se a melhor opção “dentro de casa” não for um argumento suficiente, lembre-se que o Agile representa, ao mesmo tempo, a velha e a nova Chevrolet. Por isso, as mudanças da linha 2014 devem ser as (primeiras e) últimas do modelo, que, segundo fontes, morre até 2016. Valeria manter um produto mais velho e inferior (em relação ao Onix) no mercado?

Chevrolet Agile 2014: mesmo melhor, mas diferente de outros tempos, o seu “não sucesso” (termo distinto de insucesso) está praticamente garantido.

Comentários (19)

  1. os sites dizem q ele nao passa de 2015 e nao 2016 como vc disse parizzi, na minha opniao a chevrolet desperdiçou dinheiro reestilizando um carro ultrapassado em projeto, pederia ter economizado pra investir futuramente na nova geracao da montana q sera o ultimo integrante da familia onix ,e tirava o agile de linha logo agora

    • Oi JCCG! Obrigado pelo comentário!

      Eu disse até 2016. Vários sites falaram mesmo 2015, mas, conhecendo o histórico da Chevrolet no Brasil (Classic highlander, Celta antigo, a mesma geração do Astra ficou no mercado por quase 15 anos; picape S10 antiga, etc.), minha fonte garantiu que não será surpresa se o carro durar até 2016, embora eu ache pouco provável.

      Um abraço.

          • o celta e outro q deveria morrer logo e sem deixar sucessor, ja q 2 fatores fudamentais estao acontecendo no nosso mercado. 1° o consumidor esta cada vez mais subindo de categoria e descobrindo tmb as vantagens de se ter um carro mais completo, mais bem acabado, mais potente e e etc… e 2° o onix e tmb um carro compacto e relativamente barato, poderia perfeitamente substituir o celta e preciso somente baixar mais o preço dele “media de 3 a 5mil reais ja estaria de bom tamanho” e aumentar mais a producao

        • por que dessas ameaças de sair de linha. Eu tenho um Agile/2010, estou pensando em adquirir outro 2014. Na minha opinião é um carro excelente, estou muito satisfeita com ele. Estou no 5º carro chevrolet e não gostaria de sair.

      • parizzi a chevrolet de hj nao e a mesma de 4 ou 5 anos atras, ela mudou mesmo completamente, principalmente na maneira de agir, pensar e atuar com sua presença agora muito mais imposta pela tecnologia e modernidade dos seus produtos, a GM acordou agora como NUNCA na vida tinha acordado antes nos seus mais de 100 anos de vida no mundo, ela promete agora ter uma acao muito mais rapida na questao de lançamentos a cada semestre, no 1° semestre de 2014 por exemplo a marca tera mais 4 lançamentos a fazer

  2. Tenho um AGILE 2013 e estou muito satisfeito. Um ótimo carro. Confortável, bom de dirigir, ótimo espaço interno e vem completo por um preço justo. Não entendo essa má vontade com o AGILE.

    • Tb tenho um agile 2011 e estou pensando em trocar o meu pelo 2014 ( na concessionaria da minha cidade esta uma promoção 2013/2014 por 38,990 LTZ) … estou achando um bom negocio, ja que fui pesquisar as concorrentes, e nao chegam nem perto de acessorios do agile e preços entre 44,000 / 45,000 com os opcionais que o agile tem !!! Enfim, de 10 comentarios que leio na internet , 8,5 sao criticando o Agile … nao acho um carro ruim, pelo contrario, me atende perfeitamente !!!

  3. Eu tive um Ágile modelo 2010, apesar de bonito e bom porta malas e espaço interno, não gostei. Achei o carro duro, péssimo isolamento acústico, motor fraco e o pior, em um acidente em que tive de trocar o banco traseiro fiquei 6 (seis) meses da Argentina, isso estando em cima da Seguradora e da Concessionária (Simpala) de Porto Alegre, RS. Carro importado nunca mais.

  4. Tenho um agile 2011 e fiz variais coisas nele excelente carro. eu adorei tanto o carro que botei aerofolio, adesivos nas laterais e o carro e demais na subida achei realmente fraco, porem na estrada o motor 1.4 do agile LTZ e bem espertinho deixando muita gente no chinelo meu carro tem uma faixa de 11 km por litro gosto muito dle tem uma boa mala, bastante espaço interno, e pelo valor do mesmo, ele sai muito em conta pois tem computador de bordo piloto automatico com regulçagem de velocidade( que tem muitos que nao sabem mais se voce manter precionado o botao do piloto automatico o agile começa a acelera) voltando, otimo carro muito bom na estrada ou na cidade, muita das vezes esse pessoal reclama do agile por que eles usam um onix filho o onix tem uma traseira ridicula frente esquisita assim como de seu sedan o agile tem a traseira feia porem ele compença com acessorios. Antes de falar lembrem cada um tem um gosto nao e porque vc acha ruim ou nao pode ter um agile que vc deve ridicularizar o mesmo. MEu agile 2011 LTZ 1.4 8v estou pessando ate em trocar pela versao nova EFFECT

    • tenho um [ Ágile ] 2011 e pretendo trocar por um 2014. tanto eu como toda a família nos apaixonamos por ele. e como nosso amigo Gustavo disse: gosto ñ se discute ! particular mente,eu acho o ônix bonito mais ñ trocaria o agile por ele ainda que me dessem todas as vantagens…mas,e uma opinião minha.acho ridículo a forma como muitos tem se expressado sobre o agile…e ñ entendo porque da pressa de tirar o agile de linha…sera que alguém esta incomodado pelo conforto que o nosso agile tem e pelo seu preço no mercado,que favorece a qualquer classe a realização de ter como realidade o sonho de um bom veiculo?sera que a própria Chevrolet arrependeu da fabricação do agile com seus itens e preço?são muitas as especulações…enquanto isso,desfrutamos do conforto prazeroso de conduzir um agile ltz.

  5. Eles falam do ágile assim como falam de qualquer outro carro. O emprego destes avaliadores é falar contra todos os carros. Já assisti programas de TV onde os avaliadores falavam mal até de BMW e Mercedes Benz…. E do fusquinha do meu amigo… o que falariam hein????
    O agile é um bom carro na minha opinião. tenho um e estou satisfeito.

  6. Pessoal, sem ofensa, nem querendo desmerecer a escolha de ninguém…

    Antes de comprarmos um veículo com troca automática de marchas, precisamos pesquisar bem e obter informações com proprietários quando possível. E os proprietários, precisam ser sinceros e deixar de defender algo porque compraram, ou seja qual for a razão – Isso porque, se nós não nos unirmos a favor de nós mesmos, o único lado que ganha são as montadoras e concessionárias! E nós o povo, apenas dançamos e somos os palhaços no circo deles.

    Pois bem, meu pai tem tido carros automáticos há mais de 10 anos, e tenho experiência com diversos deles…

    Há pouco mais de um ano, minha irmã, por gostar de determinado modelo da VW (I-motion), comprou um automatizado, e o resultado: Problemas!

    Mesmo tendo tido problemas, com automatizados, há dois meses ela comprou um Ford (Power Shift), e o resultado: Problemas!

    Infelizmente, a experiência de compradores, tem demonstrado que carros pseudo-automáticos NÃO VALEM NADA, e nos servem de frustrações em cima de mais frustrações. Em suma, os câmbios I-motion (VW), Dualogic (Fiat), EasyTronic (GM) e PowerShift (Ford), a meu ver, não valem nada:

    São bombas que vão explodir nas mãos do consumidor de um zero quilometro, ou que explodirão nas mãos do segundo dono. Enfim, a todos que me questionam sobre o PowerShift (Ford), I-motion (VW), EasyTronic (GM) e Dualogic (Fiat), apesar de eu não ser especialista, eu sei ler o que os consumidores dizem, e meu conselho é PREVINA-SE, FUJA e NÃO COMPRE. Um exemplo está aqui:

    http://www.peticaopublica.com.br/viewsignatures.aspx?pi=P2013N44036

    E isso serve para:
    PowerShift (Ford)
    I-motion (VW)
    EasyTronic (Chevrolet – GM)
    Dualogic (Fiat)
    E qualquer outro pseudo-automático!

    Se o intento é comprar um carro com transmissão automática de marchas, de fato compre um automático de verdade, e fuja destes veículos gambiarras! Estes veículos com os câmbios acima não são automáticos de fato, como conhecemos – São gambiarras, experimentos que lançam no mercado nacional, porque o brasileiro, infelizmente aceita tudo, é desunido e não luta por seus direitos.

    Poupe um pouquinho mais e se for comprar, compre de fato um veículo REALMENTE automático, e suas chances de problemas, frustrações, serão reduzidos. De fato, de todos os veículos que meu pai ou eu tivemos automáticos (realmente automáticos), não tivemos problema com nenhum. Seja um zero ou usado, compre APENAS automático de fato, e efetue sua manutenção correta, por exemplo, trocando o óleo de câmbio conforme indica o manual, com 5 a 15 mil quilometros de antecedência, a depender das condições de trânsito de sua cidade…

    E fuja, fuja e fuja de todos esses nomes idiotas que te empurram, e que no fim das contas, lascam com sua vida:
    PowerShift (Ford)
    I-motion (VW)
    EasyTronic (Chevrolet – GM)
    Dualogic (Fiat)
    Nem pensar!

    Abraço,

  7. Tenho um 2013, LTZ manual, nunca tive um carro tão ruim de cambio, duro na estrada, beberrão e tem que andar sempre acelerado ou andar somente no alcool, embreagem trepida e a Chevrolet diz que e normal, isto que ele esta com 28.000 kms. Se eles melhoraram o cambio já e um começo.

  8. Na verdade nós brasileiros , queremos sempre aparecer surge um modelo novo e já vamos trocar só pra falar esse é mais moderno .
    Tenho um Ágile 2011 com 50.000 km , estou super satisfeito com o veiculo , mecânica barata peças fácil de encontrar .
    Covardia com o consumidor se a GM tirar o veiculo de linha .
    Quantos anos estão no mercado os modelos dos táxis Londrino ?
    Assim , vamos sempre atropelando os nossos direito em benefício das montadoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *