Novo Nissan Kicks é o SUV mais econômico da categoria no Brasil

Nissan-Kicks-2017-SUV-crossover-Brasil

Nissan Kicks tem grade frontal em V como destaque

Ele ainda não foi lançado, mas já está dando o que falar, como comentei antes. De acordo com o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, do Inmetro, o novo Nissan Kicks é o SUV mais econômico da categoria no Brasil! Confira um comparativo com os principais concorrentes!

Segundo o Inmetro, o Nissan Kicks faz, com etanol, 8,1 km/l na cidade e 9,6 km/l na estrada. Com gasolina, média de 11,4 km/l na cidade e 13,7 km/l na estrada. Esses números foram alcançados na versão SL, com o motor 1.6 16V flex, que terá 114 cv de potência e 15,5 mkgf de torque, um pouco mais do que a dupla March e Versa, e com o câmbio automático do tipo CVT. Nem o Jeep Renegade a diesel (em teoria, mais econômico) foi páreo para a novidade japonesa (quando abastecido com gasolina).

Nissan-Kicks-2017-automatico-CVT

Nissan Kicks SL 2017

Se, por um lado, o Kicks se destaca no quesito economia de combustível, o mesmo não pode ser dito do Hyundai Tucson 2.0 automático, que sofre com o peso da idade do projeto, do motor e do câmbio antigo. Mas esse meu argumento poderia cair se analisarmos o Renegade 1.8 flex, que é novo e moderno, mas bebe muito – nesse caso, o problema é o peso excessivo do modelo. O Renault Duster 2.0 automático vai mal por causa da transmissão, uma vez que ele seria extremamente beneficiado por uma caixa com seis marchas, ao invés da de quatro.

Veja a lista, em ordem alfabética, deixando o SUV da Nissan no topo por ele ser a novidade.


Modelo
      CONSUMO – KM/L
ETANOL GASOLINA
Cidade Estrada Cidade Estrada
Nissan Kicks 1.6 CVT 8,1 9,6 11,4 13,7
Ford EcoSport 1.6 manual 7,0 8,2 10,2 11,8
Ford EcoSport 1.6 Powershift 7,2 8,3 10,2 12,1
Ford EcoSport 2.0 manual 6,5 8,1 9,0 11,7
Ford EcoSport 2.0 Powershift 6,6 8,0 9,7 11,5
Honda HR-V 1.8  manual 6,7 8,6 10 12,5
Honda HR-V 1.8 CVT 7,1 8,5 10,5 12,1
Hyundai Tucson 2.0 automático 5,0 5,9 7,1 8,3
Jeep Renegade 1.8 manual 6,7 7,4 9,6 10,7
Jeep Renegade 2.0 diesel automático  –  – 9,4 11,5
Peugeot 2008 1.6 manual 7,3 8,2 10,2 11,6
Peugeot 2008 1.6 automático 6,8 7,9 9,4 11,0
Peugeot 2008 1.6 THP manual 7,1 8,5 10,7 12,4
Renault Duster 1.6 manual 6,6 7,4 9,5 10,7
Renault Duster 2.0 manual 6,4 7,4 9,0 10,8
Renault Duster 2.0 manual 4×4 6,2 7,1 9,1 10,3
Renault Duster 2.0 automático 5,6 7,0 8,1 10,1
Suzuki S-Cross 1.6 manual 11,9 13,2
Suzuki S-Cross 1.6 CVT 11,0 12,9
Suzuki S-Cross 1.6 CVT 4×4 11,1 11,8

OBS: O Suzuki S-Cross manual bebe menos na cidade e mais na estrada do que o Kicks com gasolina. Mas, como ele não é flex, a “vitória” no título do post ficou para o Nissan.

O Nissan Kicks será o carro oficial dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paralímpicos Rio de Janeiro em 2016. Suas vendas começam no dia 5 de agosto, o dia da abertura das Olimpíadas. Seu preço ainda não foi definido, mas deve ficar entre R$ 65.000 e R$ 85.000.

Na versão topo de linha, SL, o SUV virá equipado com ar-condicionado digital, direção elétrica, sensor de estacionamento, botão start/stop para ligar e desligar o veículo; travas, vidros e retrovisores elétricos; entradas USB e auxiliar, comandos de som e do telefone (Bluetooth) no volante (de base reta), banco traseiro bipartido, faróis de neblina, central multimídia, Around View Monitor (monitor com visão 360°) e para o Moving Object Detection (detecção de objetos em movimento), que se utilizam de quatro câmeras integradas para exibir uma visão total do carro e alertar ao condutor no caso de qualquer perigo que tenha passado despercebido.

Comentários (2)

  1. Parazzi já estou com o HRV a um mês e até o momento venho conseguindo, segundo o computador de bordo 7,6 Km/l com Etanol rodando na cidade. Aquele auxílio do Painel (aro do velocímetro) que fica verde indicando uma condução econômica é fantástico. Fácil de ser observado ao dirigir. Apesar de ser meu primeiro Honda confesso que o carro vem superando minhas expectativas. Assim que realizar uma viagem mais longa vou repassar os valores de consumo.

    • Muito legal, Gustavo! Ótimo saber! E, essa média, em BH, é boa, pois nossa topografia não ajuda muito no quesito economia de combustível!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *