Jeep Renegade evolui na linha 2017, mas será que foi o suficiente?

Jeep Renegade Limited 2017

Jeep Renegade Limited 2017

Além do preço, a falta de fôlego e o alto consumo de combustível eram os principais problemas do Jeep Renegade flex. Agora, a marca trabalhou para melhorar todos esses aspectos, alterando a lista de equipamentos e o motor 1.8, demonstrando que o SUV evoluiu na linha 2017. Mas será que foi o suficiente?

O Renegade, finalmente, recebeu as alterações já presentes no propulsor da bela picape Toro. O motor 1.8 16V E.torQ foi evoluído para “Evo” e recebeu o VIS (Variable Intake System), que altera o fluxo de ar dentro do coletor de admissão, trazendo mais torque em qualquer rotação. Com isso, os 130/132 cv subiram para 135/139 cv a 5.750 rpm (gasolina/etanol), enquanto o torque foi de 18,6/19,1 mkgf para 18,8/19,3 mkgf a 3.750 rpm (gasolina/etanol).

Motor 1.8 E.TorQ flex do Jeep Renegade Limited

Motor 1.8 16V E.torQ Evo do Jeep Renegade 2017 tem 135/139 cv e 18,8/19,3 mkgf

Não é um aumento considerável, mas é muito bem-vindo para ajudar no processo de mover o obeso Renegade. Na prática, a diferença é pouco perceptível, mas o motorista mais atento nota um pouco mais de disposição, especialmente acima de 4.000 rpm.

Ainda na parte mecânica, a motorização perdeu o tanquinho de partida a frio e recebeu uma nova bomba de combustível (chamada de “inteligente” pela marca). Motor e câmbio agora contam com óleos de baixo atrito.

Além do ganho de força, a Jeep trabalhou para tornar o Renegade mais econômico. As mudanças citadas acima ajudam, o SUV ganhou um alternador mais eficiente, monitoramento da pressão dos pneus (avisa quando um deles está murcho) e indicador de troca de marchas no quadro de instrumentos.

Jeep Renegade Limited 2017 1.8 flex

Jeep Renegade Limited 2017 1.8 flex tem Start&Stop e pneus “verdes”

As “estrelas”: Stop&Start e pneus “verdes”

Mas duas novidades devem ser as mais efetivas para reduzir a bebedeira do carro. A primeira é o Start&Stop, sistema que desliga o motor em paradas de semáforo ou engarrafamentos, poupando combustível e reduzindo a emissão de gases poluentes. O carro é religado quando o motorista pisa na embreagem (câmbio manual) ou tira o pé do freio (automático). Caso o motorista queira, é possível desligar o sistema.

A segunda são os pneus “verdes”, que diminuem a resistência de rolagem, contribuindo em até 2% na redução do consumo de combustível. Além disso, eles geram menos ruído e têm desempenho mais constante ao longo da vida útil.

Mas, e na prática, como ficou a média de consumo? Veja o que diz o Inmetro:

Consumo
Etanol Gasolina
Modelo Câmbio / Ano Cidade Estrada Cidade Estrada
Jeep Renegade Sport 1.8 Manual – 2016 6,7 km/l 7,4 km/l 9,6 km/l 10,7 km/l
Jeep Renegade Sport 1.8 Manual – 2017 7,3 km/l 7,6 km/l 10,6 km/l 11,2 km/l
Jeep Renegade Sport 1.8 Automático – 2017 6,5 km/l 7,6 km/l 9,5 km/l 10,9 km/l

Outro recurso que todo Renegade 2017 com o motor 1.8 Evo recebeu foi o modo de condução Sport. Acionando esse botão no painel, logo acima dos comandos do ar-condicionado, o carro fica mais “alerta”, com o acelerador mais direto e, nas versões com câmbio automático de 6 marchas, o ajuste é focado em performance, demorando mais para trocar as marchas, entre outras medidas.

Qualquer melhoria de desempenho e consumo realmente são muito bem-vindas ao Renegade 1.8 flex. Na última vez em que rodei numa unidade (automática), fiquei muito incomodado com a letargia do modelo.

Jeep Renegade Limited 2017 automático

Medidas e visual do Renegade não mudaram. Porta-malas é menor do que o do Uno

No mais, tudo igual: mesmas medidas, espaço interno razoável, bom acabamento, porta-malas minúsculo (260 litros – menor do que do Uno) e excelentes capacidades fora de estrada.

Jeep Renegade Limited

Outra novidade da linha 2017 é a nova versão topo de linha com motor 1.8 flex Limited, que pega um Renegade Longitude e acrescenta pintura prata na grade dianteira, capas dos retrovisores externos, barras de teto, teto pintado de preto, rodas de 18″ com pintura exclusiva, bancos revestidos em couro, chave de presença Keyless Enter’n Go, tela de TFT de 7″, colorida e configurável no quadro de instrumentos, faróis de xenônio, sensores de faróis e de chuva, rebatimento elétrico dos retrovisores e espelho interno eletrocrômico.

Painel do Jeep Renegade Limited 2017

Jeep Renegade Limited 2017 tem câmbio automático de seis marchas

Mais equipamentos

Mas a Jeep não se esqueceu das outras versões e acrescentou equipamentos em todas elas. Apenas a de entrada, batizada apenas de “1.8”, não tem nenhum novo item.

A Sport agora vem de fábrica com porta-óculos, barras longitudinais de teto, banco do passageiro rebatível e com porta-objetos sob o assento e central multimídia Uconnect 5” com tela de toque, GPS e câmera de ré (com motor 2.0 diesel).

Jeep Renegade Limited

Jeep Renegade Limited 2017

Já o Renegade Longitude recebeu porta-óculos e bancos revestidos em couro (com motor 2.0 diesel). A versão topo de linha Trailhawk conta agora com airbags laterais, de cortina e de joelhos para o motorista; faróis de xenônio; chave de presença Keyless Enter’n Go; bancos revestidos em couro e rebatimento elétrico dos retrovisores.

Resumo da obra

Como vocês viram, a linha 2017 do Renegade realmente evoluiu, melhorando os principais aspectos do modelo. Mas será que foi o suficiente?

Bem, o motor 1.8 aparentemente está no seu limite e, mesmo evoluído, continua não sendo o mais adequado para mover um carro tão pesado, que pesa a partir de quase 1.400 kg. O ideal seria que o SUV entrasse numa dieta.

Farol de xenônio do Jeep Renegade Limited 2017

Farol de xenônio do Jeep Renegade Limited 2017

Em termos de equipamentos, o Renegade está bem atraente na sua briga particular com o Honda HR-V, rival que a Jeep mirou nas mudanças da linha 2017. Se o modelo japonês vence em espaço (interno e no porta-malas) e conforto, o norte-americano contra-ataca com mais flexibilidade, capacidade off-road de verdade e outros quesitos.

Agora, se tudo parecia quase bom demais para ser verdade na atualização da linha 2017 do Renegade, saiba que isso tem, literalmente, um preço. Se os valores já eram desanimadores, ficaram ainda mais altos. Confira:

Modelo Preço 2016 Preço 2017 Aumento
Renegade 1.8 flex R$ 71.990 R$ 72.990 R$ 1.000
Renegade Sport 1.8 flex R$ 78.390 R$ 79.490 R$ 1.100
Renegade Sport 1.8 flex AT R$ 84.790 R$ 85.990 R$ 1.200
Renegade Longitude 1.8 flex AT R$ 90.490 R$ 90.990 R$ 500
Renegade Longitude 1.8 flex AT (+ teto solar) R$ 97.290 R$ 97.790 R$ 500
Renegade Limited 1.8 flex AT R$ 97.490 R$ 97.990 R$ 500
Renegade Limited 1.8 flex AT (+ teto solar) R$ 104.290 R$ 104.790 R$ 500
Renegade Sport 2.0 diesel AT 4×4 R$ 113.990 R$ 115.990 R$ 2.000
Renegade Longitude 2.0 diesel AT 4×4 R$ 121.990 R$ 123.490 R$ 1.500
Renegade Trailhawk 2.0 diesel AT 4×4 R$ 134.990 R$ 136.990 R$ 2.000

E pensar que um Renegade Sport diesel era caro por R$ 99.990…

O SUV da Jeep continuará vendendo bem, pois é um veículo muito bom e ficou ainda mais atraente na linha 2017. Mas ainda há espaço para evoluir, especialmente debaixo do capô.

Comentários (1)

  1. A Honda perdeu a noção, Fit EXL por 78.900,00 (nem estou falando de HR-V, pois Jeep agora concorre até com Fit) preferi um Renegade Sport 16/17, que pelo “preço de fábrica” saiu pelo mesmo valor do Honda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *