Fiat Argo praticamente sepulta o motor 1.6 E.TorQ

Motor Fiat 1.6 16V E.TorQ

Motor Fiat 1.6 16V E.TorQ está com os dias contados

Palio, Strada, Grand Siena, Idea, (Palio) Weekend e Punto: todos eles tiveram em comum praticamente a mesma oferta de propulsores. Mas, um “coração” nunca foi muito popular. Agora, a chegada do Fiat Argo praticamente sepulta o motor 1.6 E.TorQ.

Oficialmente, essa motorização não está morta. Mas basta olhar a oferta de carros da marca para perceber que o seu fim é iminente. Embora ainda apareça no site da Fiat, o Punto já saiu de linha, mas ainda pode ser encontrado em virtude de estoques das concessionárias.

Idea já deu adeus. Strada e (Palio) Weekend não contam mais com a oferta do propulsor 1.6 16V, enquanto o Palio irá perder as suas versões mais caras (se é que já não perdeu) com o lançamento do Argo.

O único representante 1.6 da turma hoje é o Grand Siena, que, assim como o Palio, deverá ser substituído pelo “Argo Sedan”, ou seja, as versões mais “refinadas” e caras darão adeus, ficando apenas as mais simples (por algum tempo).

Foto do Fiat Grand Siena Essence 2017

Grand Siena deverá ser último representante 0 km da Fiat no Brasil com motor 1.6 16V E.TorQ

Por que tirar de linha?

O motor 1.6 16V E.TorQ nunca vendeu (e rendeu) tanto quanto poderia. Por causa disso, a FCA deu atenção quase que exclusiva para o 1.8 16V E.TorQ, que precisava render como um 2.0, em virtude do lançamento (e peso) do Jeep Renegade e da picape Fiat Toro, além de, em paralelo, concentrar esforços nos novos propulsores Firefly.

Além disso, as motorizações da família Fire, 1.0 8V e 1.4 8V, amplamente populares, davam conta do recado na “parte de baixo da tabela”. Logo, o 1.6 ficou meio “perdido” no meio do caminho.

Com o lançamento do mais moderno e eficiente (embora mais fraco) motor 1.3 8V Firefly, de quatro cilindros, o 1.6, praticamente, perdeu o sentido de existir.

O motor

O propulsor 1.6 16V E.TorQ tem quatro cilindros e nunca contou com as “modernidades” do seu irmão 1.8. Ele desenvolve 115 cv de potência a 5.500 rpm e 16,2 mkgf de torque a 4.500 rpm, com gasolina, e 117 cv e 16,8 mkgf com etanol – nos mesmos giros.

Veja como que ele se relaciona com seus irmãos:

Motor Fiat Número de cilindros Potência gas/etanol (cv) Torque gas/etanol (mkgf)
1.0 8V Fire 4 73/75 9,5/9,9
1.4 8V Fire 4 85/88 12,4/12,5
1.0 6V Firefly 3 72/77 10,4/10,9
1.3 8V Firefly 4 101/109 13,7/14,2
1.6 16V E.TorQ 4 115/117 16,2/16,8
1.8 16V E.TorQ 4 135/139 18,8/19,3

Questão de tempo

Mas será que não o motor 1.6 16V não teria espaço para sobreviver no meio dos seus irmãos? Quem sabe com uma atualização, fazendo os seus números subirem para 120/122 cv e 16,5 e 17 mkgf, ficando mais econômico?

Quem responde é uma pessoa ligada à Fiat que pediu para não ter o seu nome revelado: “Tivemos mais planos para ele no passado. Agora é uma questão de tempo para ele sair de linha”.

Realmente, se o propulsor 1.6 E.TorQ fosse continuar entre nós, com certeza ele equiparia o Argo. Mas, como isso não acontece, vamos esperar o “cronometro” zerar para nos despedirmos oficialmente dele.

Comentários (2)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *