Novo Coronavírus: Pandemia e dólar altíssimo derrubam vendas de carros importados no Brasil

Mercedes Benz CLA 180

Mercedes Benz CLA

As vendas de carros importados no Brasil foram derrubadas pela pandemia do novo Coronavírus e pelo dólar altíssimo, que o Governo Federal não consegue segurar há meses. O licenciamento de 2.090 unidades em março representaram uma queda de 21,7% em relação a fevereiro, quando foram vendidas 2.668 unidades importadas.

Os números de mercado são da Abeifa – Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores. Ante março de 2019, quando foram comercializadas 2.524 unidades, a retração foi de 17,2%.

Com esses resultados, o primeiro trimestre do ano fechou com queda de 4,4%: 7.165 unidades contra 7.496 emplacamentos de veículos importados.

Fique em casa! Mas, se precisar do carro, é importante ter cuidados para ajudar na prevenção do Coronavírus

Presidente da Abeifa

“Com a valorização da moeda norte-americana de 30,7%, somente no período de 2 de janeiro de 2020 até 1 de abril de 2020, o setor de veículos importados esforçou-se ao máximo em manter os preços mais estáveis em reais. Por esse motivo, nos dois primeiros meses do ano, ainda obtivemos um resultado positivo. No entanto, com a declaração oficial da Organização Mundial da Saúde, no dia 11 de março, de pandemia do novo coronavírus (Covid-19), aliada à escalada do dólar, as nossas vendas caíram drasticamente”, lamenta João Henrique Garbin de Oliveira, presidente da Abeifa.

Segundo João Oliveira, “diante do cenário de desaceleração da economia brasileira e mundial, nos próximos meses, a Abeifa está preocupada com a própria sobrevivência dos importadores e sua rede de concessionárias e, se confirmadas as projeções de queda nas vendas de automóveis novos este ano da ordem de 40%, como indicam altos executivos de montadoras locais, corremos sério risco também de inviabilizar unidades produtivas”.

Na avaliação do presidente da Abeifa, “a vida humana e a atenção ao quadro pandêmico por coronavírus são prioridades absolutas. Nesse sentido, as 413 concessionárias que compõem as redes autorizadas de nossas 15 associadas seguem orientações técnicas da OMS e das autoridades brasileiras. Internamente, nossas empresas, na área comercial, têm procurado atender aos seus clientes por meio de plataformas digitais além de, por exemplo, já termos estendido prazos de revisões programadas”.

João Oliveira defende, de outra parte, que “completando hoje o primeiro ciclo de quarentena, esperamos que Governo Federal atenda o pleito de redução da alíquota do imposto de importação, dos atuais 35% para 20%, com a finalidade de reanimar o setor, evitar o fechamento de concessionárias e, consequentemente, impedir a dispensa de parte dos 13,5 mil trabalhadores”.

Suzuki S-Cross

Suzuki S-Cross

Produção local

Entre as associadas à Abeifa que também têm produção nacional, BMW, CAOA Chery, Land Rover e Suzuki fecharam março último com 2.713 unidades emplacadas, total que representou queda de 6,6% em relação a fevereiro de 2020, quando totalizaram 2.906 unidades. E aumento de 10,4% ante março de 2019, quando foram comercializadas 2.458 unidades de fabricação nacional.

No acumulado do primeiro trimestre do ano, a produção nacional das associadas à entidade significou alta de 20,4%: 8.142 unidade emplacadas este ano contra 6.762 veículos em 2019.

Participações

Em março último, ao considerar somente os veículos importados por associadas à entidade – total de 2.090 unidades -, o setor significou marketshare de apenas 1,34%.

Com 4.803 unidades licenciadas (importados + produção nacional), a participação das associadas à Abeifa foi de 3% do mercado total de autos e comerciais leves (155.810 unidades).

ACOMPANHE O DE 0 A 100 TAMBÉM PELO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *